Bispos fazem análise de conjuntura da Amazônia

Foi aberto com uma celebração eucarística na noite desta segunda-feira, 02 de julho, o 10º Encontro da Igreja na Amazônia, em Santarém (PA).  A missa foi presidida pelo arcebispo de Belém, dom Alberto Taveira, e concelebrada pelos bispos dos regionais Norte 1, Norte 2 e Noroeste da CNBB, além do presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia, Cardeal Cláudio Hummes.

O Encontro marca a celebração dos 40 anos do Documento de Santarém, que traçou as linhas prioritárias de ação da Igreja na Amazônia. Para o bispo da prelazia do Xingu, dom Ervin Kräutler, o encontro de 1972 foi um marco na história de toda a Amazônia. “Agora, 40 anos depois, estamos diante de novos desafios, talvez mais fortes ainda. Espero que esse encontro aqui mostre alguma luz e pelo menos mostre a unidade dos bispos diante dessa devastação, desse estrago que a Amazônia está sofrendo”, destacou.

Na manhã desta terça-feira, 03 de julho, os trabalhos foram iniciados também com celebração eucarística, desta vez presidida por dom Luiz Soares Vieira, arcebispo de Manaus. A homilia, preferida por pelo arcebispo emérito de Porto Velho, dom Moacir Grecchi, destacou o pioneirismo do Documento de Santarém. “Foi aqui que surgiram nossas quatro primeiras prioridades que depois foram migrando para a Igreja em todo o Brasil”.

Durante a manhã da terça-feira, os bispos realizaram uma retrospectiva do Documento de Santarém, e em seguida a análise de conjuntura da região, discutindo sobre a realidade socioeconômica. Já no período da tarde, divididos em grupos, fazem a reflexão sobre os desafios para o seguimento de Jesus Cristo na realidade da Amazônia.

Por: Rosa Rodrigues, Joelma Viana e Ercio Santos
Fonte: CNBB 

Deixe um comentário