Produção de minério da Vale sobe no trimestre

Produção de minério de ferro da Vale atingiu 80,5 milhões de toneladas no segundo trimestre, alta de 0,4% sobre o mesmo período do ano passado

Depois de sofrer com as chuvas no primeiro trimestre, a produção de minério de ferro da Vale subiu entre abril e junho, atingindo 80,542 milhões de toneladas, um resultado 0,4% maior que em igual período do ano passado. Apesar do bom desempenho – recorde para um segundo trimestre – o total produzido nos seis primeiros meses do ano, de 150,536 milhões de toneladas, ficou 0,8% abaixo do primeiro semestre de 2011.

“O aumento [no segundo trimestre] refletiu as melhores condições climáticas”, diz o relatório de produção divulgado ontem pela mineradora.

O avanço na produção de minério de ferro foi puxado pelos bons desempenhos de Carajás, no Sistema Norte, e do Sistema Sul. Carajás produziu 27,4 milhões de toneladas, na melhor performance da área para um segundo trimestre, 26% maior que no trimestre anterior e 5,2% acima do desempenho do segundo trimestre de 2011.

No Sistema Sul, que engloba Minas Itabirito, Vargem Grande e Paraopebas, foram produzidos 20,7 milhões de toneladas entre abril e junho, o melhor desempenho para um segundo trimestre desde 2008, “refletindo melhorias operacionais” em Vargem Grande e em Minas Itabirito.

Outro destaque da produção no segundo trimestre ficou com as pelotas. As 14,256 milhões de toneladas produzidas, representaram um novo recorde para qualquer trimestre. O volume ficou 12,3% acima do trimestre anterior e foi 8,5% maior que no segundo trimestre do ano passado.

“[A curva de produção das operações] de Omã foi a principal razão para o bom desempenho na comparação anual”, informa o relatório. A operação em Omã produziu 1,6 milhão de toneladas de pelotas de redução direta no segundo trimestre, 12,6% a mais que no primeiro trimestre do ano.

Outro projeto em curva de produção ascendente que contribuiu para melhorar o desempenho da mineradora foi o de Moatize, projeto de carvão em Moçambique. As operações na região produziram 728 mil toneladas de carvão metalúrgico e 390 mil toneladas de carvão térmico. Com isso, o total de carvão metalúrgico produzido no segundo trimestre foi de 1,277 milhão de toneladas, 146,3% acima de igual período do ano passado. Já os volumes de carvão térmico atingiram 1,190 milhão de toneladas, alta de 51,3% em relação ao segundo trimestre de 2011.

A produção de níquel ainda sofre com problemas nas minas. A suspensão das atividades para avaliação da segurança nas operações de mineração da Vale em Sudbury, no Canadá, durou mais do que a empresa esperava e teve impacto na produção de níquel refinado no segundo trimestre. Como resultado, a produção do insumo caiu 3,6% frente ao primeiro trimestre, para 61 mil toneladas. Apesar desse recuo, houve alta de 8,4% em relação ao segundo trimestre de 2011.

Outro senão aconteceu em Onça Puma, no Pará, com a interrupção da produção no fim do trimestre para a realização de reparos nos fornos.

“Os primeiros indícios sugerem que, provavelmente, ambos os fornos permanecerão fora de operação durante os próximos meses”, informou a Vale.

Na Nova Caledônia, as operações estão interrompidas desde maio. A expectativa da mineradora é de que a produção seja retomada apenas no último trimestre deste ano.

Por: Rafael Rosas e Marta Nogueira
Fonte: Valor Econômico

Deixe um comentário