Secretários reúnem com índios

Treze dias após o acordo parcial firmado entre lideranças da etnia Munduruku e governo, representantes de cinco secretarias do Pará retornaram ontem a Jacareacanga, no sudoeste do estado, para dar início à construção de uma Unidade Integrada do Pro Paz. A construção da unidade era apenas uma das reivindicações dos índios que, na época, incendiaram e destruíram o quartel da Polícia Militar na cidade em protesto contra o assassinato de Leo Akay Munduruku, durante um assalto.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Luiz Fernandes Rocha, que esteve no primeiro encontro, a ida de representantes do governo objetiva dar uma resposta às promessas feitas à comunidade há treze dias. “Estamos retornando para resgatar o compromisso que assumimos quando estivemos no município”, disse. Segundo o secretário, a unidade do Pro Paz funcionará para garantir não somente a segurança na região, mas também serviços de assistência social. “Deve funcionar nos mesmos moldes da UIPP (Unidade Integrada do Pro Paz) da Terra Firme, que envolve ações de políticas públicas integradas às ações de segurança pública”.

Para isso, além da Segug, também foram à Jacareacanga representantes das Secretarias de Estado de Educação, de Transportes e de Saúde. Além de policiais civis e militares.

De acordo com a secretária de Estado de Assistência Social, Tetê dos Santos, um dos principais desafios será a regularização do registro civil das crianças indígenas. “Temos interesse em reduzir o número de crianças sem registro”, afirmou. “Queremos fortalecer a educação indígena no Pará. Em suas reivindicações, os índios pediram a construção de mais escolas e isso já está na pauta”, disse a diretora de educação para a diversidade, inclusão e cidadania da Secretaria de Estado de Educação, Aldeíse Queiroz. O combate ao tráfico de drogas é uma das principais reivindicações dos Munduruku.

Fonte: Diário do Pará

Deixe um comentário