Índios do Tocantins e de Goiás vão ao STF protestar contra portaria que proíbe ampliação de terras

Índios de sete etnias do Tocantins e de Goiás fizeram ontem (30) manifestação, em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), para protestar contra a Portaria 303, que proíbe a ampliação de terras indígenas já demarcadas e a comercialização ou arrendamento de qualquer parte desses territórios.

O grupo de manifestantes queimou cruzes de madeira que simbolizavam a portaria. “Queremos que o governo rasgue e queime, como nós fizemos aqui, a Portaria 303, porque ela fere a Constituição Federal. A cruz é a morte dos povos indígenas no Brasil”, disse Wagner Krahô Kanela.

Líderes das etnias que participaram do protesto conversaram, na última segunda-feira (27), com representantes da Advocacia-Geral da União e da Fundação Nacional do Índio (Funai) pedindo o cancelamento da medida, publicada pela AGU no dia 17 de julho.

De acordo com Wagner, o grupo tem encontro marcado com o presidente do Senado, José Sarney, hoje (31), às 10h, e com representantes do Ministério Público Federal (MPF), às 15h. O grupo também deve se reunir com representantes do Ministério da Saúde para reivindicar assistência à saúde indígena.

Wagner Krahô Kanela reafirmou que a portaria não fere somente os interesses relativos à demarcação de terras, mas que também é um incentivo para a extinção da cultura indígena e à violência nas áreas onde há clima de tensão com fazendeiros. “É o terrorismo em nosso país”.

Por: Heloisa Cristaldo
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Lana Cristina

Deixe um comentário