Reunião extraordinária da Aneel deve definir hoje o futuro da Celpa

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) marcou para hoje uma reunião extraordinária de sua diretoria com o objetivo de analisar a proposta de aquisição do controle societário da Centrais Elétricas do Pará (Celpa), controlada pelo grupo Rede, pela Equatorial Energia. A reunião está marcada para às 14h30.

Com a publicação ontem da Medida Provisória 577, que na pratica impede que as concessionárias de energia elétrica recorram à recuperação judicial, o desfecho do caso Celpa ganha novos contornos, já que a distribuidora paraense é apontada como um mau exemplo no setor. A MP abre espaço para uma intervenção direta do governo em companhias com dificuldades desse porte.

Os credores da distribuidora paraense, que justamente passa por processo de recuperação judicial, aguardam a aprovação da proposta de aquisição apresentada pela Equatorial para realizar uma assembleia em que poderá aprovar a operação. A proposta prevê a compra da concessionária por apenas R$ 1, mas, em compensação, o novo controlador terá de quitar a dívida bilionária da Celpa, que chega a R$ 3,4 bilhões.

Caso da Celpa deveria ter sido analisado na terça-feira, mas a decisão foi adiada pela agência reguladora

A assembleia de credores da distribuidora, que já foi adiada três vezes, continua marcada para amanhã, mas vai depender do resultado da reunião de hoje.

O futuro da Celpa deveria ter sido analisado na terça-feira, mas a decisão foi adiada pela agência reguladora. O relator do processo na Aneel, o diretor Romeu Ruffino, afirmou que não poderia definir uma “meia solução” para a empresa. Ele alegou, na terça-feira, que outros órgãos de governo estavam avaliando a situação da Celpa e sua eventual transferência para a Equatorial Energia, citando a Eletrobras e o Ministério da Fazenda. “Não queremos dar um passo sem sintonia com outros órgãos”, disse Ruffino.

O administrador judicial da recuperação da Celpa, Mauro Santos, reagiu ao cancelamento afirmando que a empresa não tem condições de resistir por muito tempo sem uma solução definitiva. Ele afirmou que a empresa caminharia para a falência.

O balanço do segundo trimestre da companhia foi conhecido ontem, com prejuízo de R$ 116,5 milhões no período. O valor é 202% maior que as perdas registradas em igual período do ano passado, quando a empresa havia apresentado prejuízo de R$ 38,5 milhões.

As informações constam da ata de uma reunião do conselho fiscal da empresa, segundo comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A piora do resultado da Celpa deve-se, segundo o documento, ao custo da energia comprada. No segundo trimestre, esse custo foi de R$ 282,8 milhões, superando o valor registrado em igual período do ano passado, de R$ 204,8 milhões.

A receita líquida de vendas da companhia caiu 6,7% no segundo trimestre, sobre igual trimestre do ano passado, e os custos do serviço de energia elétrica cresceram 34,8%. O resultado bruto da companhia foi 56% menor, totalizando R$ 47,2 milhões no segundo trimestre deste ano.

Por: Rafael Bitencourt e Cláudia Facchini
Fonte:  Valor Econômico

Deixe um comentário