Isolux concluirá linhão no AM até julho

O grupo espanhol Isolux Infrastructure e a TIM informaram ontem que a construção do linhão do consórcio LT Amazonas, que vai ligar as cidades de Tucuruí (PA), Macapá e Manaus, será concluída até julho. “A rede ficará disponível para transmitir energia a partir do fim de abril, mas a conexão com a rede de Brasília ficará pronta para operar até julho”, afirmou Enrique Martinez, diretor de construções da companhia espanhola.

O projeto envolve a construção de 1.747 quilômetros de linhas de alta tensão e a instalação de 3.351 torres de 45 a 180 metros de altura, além da construção de duas torres de 295 metros de altura para fazer a ligação entre os dois lados do rio Amazonas, que têm uma distância de 2,5 quilômetros.

O projeto, segundo Martinez, envolve investimentos de pouco mais de R$ 2,5 bilhões e está em construção há três anos. A Isolux venceu o leilão realizado em 2008 para construir dois lotes do megaprojeto.

O primeiro lote, que liga Tucuruí a Oriximiná (ambas no Pará), seria entregue em março, mas, segundo Martinez, a companhia ainda aguarda a liberação das obras pelo Ibama. “Já houve a vistoria das obras, mas o processo ainda está em fase de liberação pelo Ibama”, disse. O segundo lote, de Macapá a Tucuruí, seria entregue em maio, mas a previsão da companhia agora é concluir o projeto até julho.

Um outro trecho do linhão, que liga o município Oriximiná a Manaus, está sendo construído por um consórcio liderado pelo grupo espanhol Abengoa. Com a conclusão do linhão que liga Tucuruí a Macapá e Manaus, os sistemas do Amazonas e Amapá serão conectados ao Sistema Interligado Nacional e deixarão de ser abastecidas por sistemas isolados. Na prática, disse Martinez, o linhão permitirá que a região seja abastecida com energia elétrica e dispensará o uso de termelétricas no Norte. Para a Isolux, a conclusão da obra permitirá atingir uma receita anual em torno de R$ 180 milhões.

Por: Cibelle Bouças
Fonte: Valor Econômico 

Deixe um comentário