Região Norte é apontada como próxima onda de crescimento

Descobrir, com antecedência, onde o consumo vai crescer está entre os maiores desafios encarados periodicamente pela indústria automobilística. Só a abertura de novos mercados dará o setor o fôlego necessário para superar marcas históricas quando a demanda dos grandes centros atingir o ponto de saturação.

Regiões que hoje mostram baixo volume de venda podem ter um enorme potencial de crescimento, mas não é fácil identificar exatamente onde estão esses mercados e, mais do que isso, saber qual é o momento certo de entrar neles.

Para alguns especialistas, a próxima onda de crescimento acontecerá no Norte, cuja economia foi estimulada nos últimos anos pela construção de usinas hidrelétricas. No Pará, já há uma demanda por motorização nada desprezível em regiões como Altamira, onde está sendo erguida a usina de Belo Monte, e Paraupebas, que abriga as minas de minério de ferro mais valiosas da Vale.

Segundo a Escopo, que ajuda as montadoras a mapear o mercado, Altamira está entre as regiões mais promissoras do país, com um consumo que, nas estimativas da consultoria, vai mais do que dobrar nos próximos quatro anos, para mais de 5,4 mil carros. Já em Paraupebas, as vendas passaram de 3 mil veículos por ano. Há cinco anos, não chegavam a 600 unidades.

O Norte responde por apenas 5% das vendas de carros no país e, no ano passado, teve um crescimento abaixo da média nos emplacamentos de automóveis e comerciais leves: a alta foi de apenas 1,9%, enquanto o volume no país cresceu 6,1%. Mas, as marcas ainda apostam no potencial da região. A Citroën, por exemplo, anunciou recentemente sua chegada a Boa Vista (RR), a capital brasileira que faltava ser ocupada pela marca de origem francesa.

“O que vemos hoje no Nordeste vai acontecer daqui a quatro ou cinco anos no Norte”, prevê Gustavo Schmidt, vice-presidente comercial da Renault.

Entre os Estados em mais rápida evolução, o Acre mostrou no ano passado crescimento de 13,9% nas vendas de carros, para um total de 8,3 mil unidades no período. Já o Pará tem o maior mercado da região Norte, com 57,3 mil carros emplacados em 2012.

Fonte: Valor Econômico

Deixe um comentário