Frigorífico Tangará faz acordo com MPF/RO para não adquirir carne ilegal

O compromisso visa ao controle e à prevenção da aquisição de animais provenientes de fazendas embargadas pelo Ibama, constantes da lista suja do trabalho escravo ou que violem direitos de populações tradicionais

O frigorífico Tangará, de Ji-Paraná, assinou ontem, 17, o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) proposto pelo Ministério Público Federal em Rondônia (MPF/RO). Ao aceitar o acordo, o frigorífico comprometeu-se com o MPF/RO a não adquirir carne bovina proveniente de áreas embargadas pelo Ibama, constantes da lista suja do trabalho escravo ou que violem direitos de populações tradicionais.

“A cadeia produtiva da carne tem normas e regulamentos que vão desde o gado no pasto até a carne disponível na gôndola do supermercado. Estas normas devem ser seguidas a fim de não prejudicar o meio ambiente, a dignidade dos trabalhadores, as populações tradicionais e não colocar em risco a saúde dos consumidores”, afirma o procurador da República Raphael Bevilaqua, acrescentando que aguarda o comprometimento de outros frigoríficos de Rondônia com a sustentabilidade através da assinatura dos TACs propostos.

O TAC foi assinado pelo representante legal do Frigorífico Tangará, Eduardo de Almeida. Este é o terceiro acordo feito pelo MPF/RO em relação à cadeia produtiva da carne. Os dois primeiros foram com os frigoríficos Charque Norte Sul e Total S/A.

Fonte: MPF – Ministério Público Federal

Deixe um comentário