Pesquisadores realizam levantamento de avifauna no Pará

Ação teve foco nas araras existentes na Floresta Nacional do Itacaiúnas

Pesquisadores iniciaram o trabalho com psitacídeos, no interior da Floresta Nacional do Itacaiúnas, no Pará, unidade de conservação (UC) federal sob gestão do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O trabalho já vinha ocorrendo em outras unidades do Núcleo de Gestão Integrada de Carajás, sendo esta, a primeira incursão ao interior da floresta nacional.

A ação foi direcionada para um levantamento populacional inicial de espécie ameaçada de extinção, assim como efetuar análise quantitativa de outras espécies de araras; Ara ararauna (Arara-caniénd); arara-vermelha-grande ou ararapiranga (Ara chloropterus) e arara-vermelha ou araracanga (Ara macao). O estudo está sendo conduzido pela pesquisadora da Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Botucatu, Flavia Torres Presti, sendo que foram a campo os pesquisadores Grace Ferreira e Helder Elias da Silva, acompanhados do analista ambiental Umberto Baldan.

O projeto apresenta como objetivos, compreender o o papel do mosaico de Carajás para a população de arara-azul (Anodorhynchus hyacinthinus) residente; verificar aspectos positivos e negativos para sobrevivência da espécie; recomendar medidas de proteção; avaliar a disponibilidade de ninhos; caracterizar os ninhos; monitorar os filhotes encontrados; conhecer os aspectos reprodutivos; percorrer novas áreas em busca de maiores informações sobre a localização e ocorrência das araras-azuis.

Além de realizar mapas de ocorrência da espécie na área estudada, também será avaliada a disponibilidade de recursos alimentares e os locais de dormitórios e forrageamento, bem como caracterizar o repertório vocal, a variabilidade genética e realizar ações de educação ambiental nas escolas de Parauapebas e dos assentamentos rurais ao redor das unidades de conservação (UC) de Carajás. Também está previsto um ensaio fotográfico para confecção de material impresso.

Para o analista ambiental da floresta nacional, Umberto Baldan, o trabalho de levantamento de avifauna, com foco em psitacídeos foi realizado de maneira eficaz e demonstrou a relevância desta unidade para a conservação de uma espécie ameaçada de extinção. “Em poucos dias de atividades em campo foram avistados mais de noventa exemplares de araras, sendo mais de trinta exemplares de arara-azul grande. Foram identificados ainda, dois casais com filhotes, com mais de três meses, ninho com filhotes com menos de uma semana e ninhos ativos das quatro espécies”, disse Baldan.

A equipe da UC espera que com este projeto, possa promover a conservação da espécie arara-azul-grande na natureza a médio e longo prazo e difundir, junto ao público em geral, a importância da conservação da biodiversidade do estado do Pará.

Fonte: ICMBio

Deixe um comentário