Cidades de Roraima podem sofrer desabastecimento com crise na Venezuela

A população de Roraima pode ser afetada, caso a Venezuela entre em estado de exceção. De acordo com o governo do estado, alimentos e produtos de higiene podem faltar aos cidadãos de Roraima se a crise venezuelana se agravar.

O desabastecimento pode atingir o país vizinho e, por isso, o município venezuelano Santa Elena de Uarén tem limitado as compras para consumo pessoal. Nesse sentido, a cidade brasileira de Paracaima, na fronteira, seria a mais atingida.

“Os brasileiros que ali residem, e uma parte da população de Boa Vista [capital], se abastecem nesse mercado fronteiriço. Então, isso gerará de imediato desabastecimento para essas populações no que tange a gêneros de primeira necessidade”, disse à Rádio Nacional o secretário de Assuntos Internacionais de Roraima, Eduardo Oestreicher.

Na última quinta-feira (20), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, admitiu que pode decretar Estado de Exceção em regiões críticas. Seis brasileiros estão detidos na cidade devido à compra clandestina de combustível. Para Eduardo Oestreicher, representantes do governo venezuelano pediram que a compra do produto seja feita apenas no posto oficial destinado a brasileiros.

De acordo com o secretário, a situação da região venezuelana próxima a Roraima ainda é tranquila, mas pode se complicar. “Aí, sim, afetará tanto a parte comercial, nosso comércio exterior, exportações e importações, quanto a situação dos turistas, que usam nossa fronteira para chegar às praias do Caribe, dentro da Venezuela”, disse ele.

Eduardo Oestreicher discutiu o assunto na última sexta-feira (21) com autoridades aduaneiras e militares da Venezuela e todas elas negaram essa expectativa de estado de exceção. “Todas as instituições estão funcionando”, disseram as autoridades ao secretário Oestreicher. Por isso, acrescentou o secretário, por ora, a população não precisa evitar o trânsito entre as cidades fronteiriças

Por: Paulo Victor Chagas
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Nádia Franco

Deixe um comentário