Biodiversidade da Amazônia é a fronteira do desenvolvimento científico, diz ministro

A SBPC é o maior evento científico do Brasil e reunirá até o próximo domingo (27), no Acre, mais de 3 mil cientistas do Brasil e do exterior.  O Inpa participa com 15 pesquisadores

Durante a solenidade de abertura da 66ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que tem como tema central “Ciência e tecnologia em uma Amazônia sem fronteira”, o ministro da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI), Clelio Campolina Diniz, ressaltou a importância da biodiversidade da Amazônia. Segundo Diniz, essa biodiversidade é hoje a fronteira do desenvolvimento científico do mundo e com um grande potencial produtivo.

A abertura da reunião aconteceu na noite da última terça-feira (22), no Teatro Universitário da Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco. Nesta edição da reunião, o evento registrou aproximadamente 5,8 mil inscrições e a estimativa é que mais de 10 mil pessoas participem. Dessas, entre 3 mil e 4 mil são cientistas, segundo informações do MCTI.

Para o ministro Campolina, a reunião da SBPC tem um significado de mão dupla. “É importante para a comunidade local receber os pesquisados e cientistas das outras partes do Brasil e é igualmente importante para os pesquisadores e cientistas de outras regiões visitar o Acre e ter um contato mais próximo dessa realidade”, disse.

Ao ser indagado sobre uma política diferenciada para a Amazônia, o ministro defendeu que o Brasil é único país e a Amazônia é parte integrante do Brasil. “Ela tem suas especificidades. Não podemos separar a Amazônia do resto do Brasil. Temos que levar a Amazônia para dentro do Brasil e sensibilizar o resto do país para as potencialidades amazônicas e para os desafios que a região apresenta”, argumentou Campolina.

O novo diretor do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (inpa), o pesquisador Luiz Renato de França, presente na cerimônia, destacou a importância da reunião anual da SBPC ser no Estado do Acre para a maior integração da região, e ressaltou a participação dos pesquisadores do instituto na socialização do conhecimento. O Inpa mantém desde 1979 um Núcleo de Apoio à Pesquisas no Acre (NAPAC), que trabalha, por exemplo, com o desenvolvimento de tecnologias para o manejo e conservação da floresta.

“O Inpa possui um papel muito importante no crescimento e desenvolvimento do Brasil, pois se dedica a pesquisar a Amazônia em suas várias vertentes. E a participação deste instituto, por meio de seus pesquisadores, é de extrema importância, principalmente para socializar e apresentar para a sociedade as pesquisas mais importantes que beneficiam a Amazônia”, ressaltou França.

Inpa

Do Inpa participam 15 pesquisadores, que contribuirão com as discussões de temas de várias áreas do conhecimento, em atividades como palestras, mesas-redondas, conferências e minicurso. Desta quarta-feira (23) até sábado (26), o pesquisador João Ricardo Avelino ministra o minicurso “Propagação in vitro de plantas da Amazônia”.

Nesta quinta-feira (24), o Coordenador de Extensão do Inpa, Carlos Bueno, fará a palestra “A relação governo-academia-empresa: uma articulação e a atuação dos arranjos institucionais de inovação para atender as demandas do mercado”, juntamente com Álvaro Prata (MCTI), Marcelo Minghelli (SECT/AC). A mesa-redonda será coordenada por Maria Bernardete Cordeiro de Sousa (UFRN).

Ainda no mesmo dia, a Coordenadora da Pós-Graduação do Inpa, Beatriz Ronchi Teles, falará na programação da ExpoT&C sobre “Os programas de Pós-Graduação do Inpa”, que até o próximo dia 30 de setembro está com inscrições abertas para 149 vagas em oito programas em nível de Mestrado.

Programação SBPC

Segundo a presidente da SBPC, Helena Nader, a SBPC é o maior evento científico do Brasil que acontece pela primeira vez no Acre com uma programação científica mostrando o que de mais avançado acontece na ciência e na tecnologia. “É o resultado do esforço realizado pela SBPC no sentido de propagar a ciência brasileira em nível internacional e reflete o reconhecimento que a produção brasileira vem alcançando nos últimos anos”, disse.

A programação inclui a ExpoT&C, sessão de pôsteres, Jornada Nacional de Iniciação Científica, SBPC Jovem e Mirim, SBPC Cultura. Além disso, uma novidade deste ano é a SBPC Extrativista e SBPC indígena. Nader ressalta que pela primeira vez numa reunião anual acontece o Dia da Família na Ciência, com uma programação voltada para a interação com a comunidade acreana e mostrando como a ciência está presente no dia a dia das pessoas.

Por: Luciete Pedrosa
Fonte: Inpa

Deixe um comentário