Obras da Copa são adiadas novamente

Secopa concede aditivos de tempo a construtoras e entrega de obras que deveriam estar prontas antes do Mundial fica para setembro e outubro

Empresas não cumprem os prazos e a entrega das obras da Copa são novamente adiadas. Prevista para ser concluída em julho, Trincheira do Santa Rosa, em Cuiabá, deverá ser entregue somente em setembro. Já a duplicação da avenida Archimedes Pereira Lima, Estrada do Moinho, que tinha uma previsão para abril deste ano, estará pronta somente em outubro.

A empresa Camargo Campos S.A. Engenharia e Comércio, responsável pela Trincheira do Santa Rosa, na avenida Miguel Sutil, pediu mais um aditivo de prazo à Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa).

A obra iniciou em junho de 2011 e era de responsabilidade da empresa Ster Engenharia, porém, após diversas quebras do contrato a empresa teve vínculo suspendido com o Estado. Após isso, a Camargo Campos assumiu o projeto, que teve novo atraso por conta de problemas com uma adutora de água e esgoto, instalada sob a trincheira, e que abastece mais de metade da Capital.

A construção foi orçada em R$ 26,2 milhões faz parte do pacote de intervenções para travessia urbana, lançado em parceria pelo Governo do Estado e o Governo Federal através do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). O viaduto tem 520 metros de extensão e visava facilitar o fluxo de trânsito da região.

Para facilitar o acesso a Arena Pantanal durante a Copa, a trincheira foi parcialmente liberada. Porém, sem a via subterrânea funcionando o local voltou a ter problemas de congestionamento, principalmente nos horários de pico. Os motoristas também reclamaram da falta de iluminação e sinalização, que deixaram a passagem perigosa.

ESTRADA DO MOINHO – A intensidade das chuvas atrapalhou a duplicação da estrada, que também faz parte do pacote de mobilidade urbana da cidade para a Copa do Mundo. Em abril, a Trimec-Hytec, empresa contratada pelo consórcio pediu o aditivo, porém o documento foi divulgado no Diário Oficial do Estado (DOE), somente na última quarta-feira (16).

A duplicação abrange 4,42 quilômetro da via e inclui também a duplicação das estruturas da pontes sobre o córrego do Moinho e o Rio Coxipó. O projeto também prevê o acesso ao complexo viário do Tijucal, obra que também está em andamento.

A duplicação começou a ser realizada em fevereiro de 2013 e foi orçada em R$ 23,6 milhões. A previsão inicial era que a pista fosse entregue em abril.

De acordo com a assessoria da Secopa, o aditivo de prazo de Camargo Campos está sendo analisado pelo secretário Maurício Guimarães. Provavelmente, o pedido será aprovado e oficializado ainda hoje (18).

Conforme a assessoria, o consórcio responsável pela duplicação da Estrada do Moinho terá até o dia 9 de outubro para finalizar os trabalhos. A assessoria informou ainda que a vigência do contrato foi estendida até o final de dezembro, este período servirá para que a Secretaria vistorie e fiscalize a obra. Somente após este trâmite o Governo confirma o recebimento oficial da construção. A manutenção da obra tem uma garantia de cinco anos.

Por: Gustavo Nascimento
Fonte: Diário de Cuiabá 

Deixe um comentário