Aécio anuncia “superministério”, elogia Código Florestal e ataca Campos

O senador Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência da República, participa de uma sabatina na CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil)

O candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, senador Aécio Neves (MG), anunciou nesta quarta-feira (6) que irá juntar pastas da área rural e criar um “superministério” da Agropecuária, da Pesca e do Abastecimento em seu eventual governo. O anúncio foi feito durante sabatina promovida pela CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil).

O candidato tem afirmado que, caso seja eleito, fará em seu governo um “choque de gestão” e reduzirá pela metade o número de ministérios. O governo de Dilma Rousseff tem atualmente 39 pastas. Aécio também defende a criação do Ministério da Infraestrutura.

Questionado sobre seu posicionamento sobre o Código Florestal, Aécio elogiou a proposta aprovada pelo Congresso Nacional em 2012. Para o candidato, o projeto foi resultado de um “pacto”, embora não tenha sido completamente “satisfatório” por todos os setores.

“Certas questões que me agradaram [no código]. Ele atende ao fato de que áreas degradadas possam ser recuperadas. O Código garante a possibilidade de premiar quem preserva a nascente. […]Ele traz inovações importantes, mas principalmente estimula a ação preservacionista. O próximo passo é a implantação do cadastro rural”, declarou o tucano.

Aécio também provocou o adversário Eduardo Campos, candidato do PSB à Presidência, ao se definir como o melhor candidato para governar o país a partir do próximo ano. “Não precisei morar de uma fazenda para saber o que o agronegócio precisa”, disse.

Campos, que foi o primeiro a ser sabatinado nesta manhã pela CNA, afirmou que pode desempenhar o papel de conciliação entre agronegócio e sustentabilidade, porque cresceu em um fazenda e sua vice, a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, na floresta.

A CNA é principal entidade representativa do setor agropecuário no país e reivindica ao próximo presidente medidas governamentais relacionadas à política agrícola, competitividade, relações de trabalho, segurança jurídica, meio ambiente e educação e assistência técnica.

Também será sabatinada nesta quarta a presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, O encontro recebe separadamente os três candidatos para o debate e apresentação das propostas para o setor na sede da CNA, em Brasília.

Por: Bruna Borges
Fonte: UOL Notícias 

Deixe um comentário