Greenpeace e Fluxo iniciam ciclo de debates sobre Política e Meio Ambiente

Parceria analisa o contexto eleitoral e destrincha propostas dos candidatos à presidência.

O clima era festivo no estúdio do coletivo Fluxo na noite de terça-feira, 09/09, no centro de São Paulo. Ricardo Abramovay (USP), Ricardo Sennes (PUC-SP) e Adriana Ramos (ISA) foram os convidados do primeiro bate papo promovido pelo coletivo de jornalismo independente e o Greenpeace, que se uniram aos especialistas para desvendar por que o tema do Meio Ambiente está latente dentre as grandes pautas eleitorais, mesmo que diversas vezes sendo abordado de forma indireta. Justamente por este motivo o programa transmitido ao vivo via internet foi batizado de Sujeito Oculto.

O time pôde abordar questões pertinentes do cenário brasileiro atual, sobretudo em tempos em que a exploração de petróleo do pré-sal chega como o grande assunto do momento. Salvador ou devastador da pátria amada?

“Nunca tivemos tantos candidatos ‘comprometidos’ com o Meio Ambiente. Agora todo mundo abraça árvore desde criancinha”, satirizou Sérgio Leitão, do Greenpeace, que conduziu o papo junto ao âncora Bruno Torturra.

É fato que a polêmica obrigou os candidatos a ajustarem, necessariamente, seu discurso dentro da pauta Meio Ambiente, como pontou Ricardo Sennes.

“(A exploração) é irreversível. A grande questão é se o Estado brasileiro vai assumir isso tudo sozinho. Poderíamos nos beneficiar com o aprendizado em tecnologia com satélites e robótica de outros países e apostar na ciência colaborativa”, avaliou.

O papo passou ainda por Mobilidade (ou a falta dela), como na citação de Ricardo Abramovay: “O automóvel se dissociou da finalidade de mobilidade para a qual foi inventado, e hoje é o maior fator de imobilidade”. Até pérolas de Paulo Maluf foram relembradas, como “Congestionamento é sinal de progresso”.

De Brasília, Adriana Ramos (ISA) entrou via Skype e trouxe importantes colaborações à roda de conversa. “Se o Geraldo Alckmin não quer encarar a crise da água como uma falha de gestão, nunca iremos resolvê-la”. Adriana também discutiu a realidade da Amazônia, onde temos andado para trás recentemente com o fortalecimento de um modelo de desenvolvimento predatório.

Perdeu o papo?

Confira aqui a conversa na íntegra, aguarde a edição do programa em pílulas.

Terça-feira que vem (16/09) tem mais, e a conversa se aprofundará no tema da Mobilidade Urbana. Acompanhe e participe!

Fonte: Greenpeace 

Deixe um comentário