Alcolumbre (DEM) derrota candidato de Sarney e é eleito senador do Amapá

O comerciante Davi Alcolumbre (DEM) conseguiu derrubar o candidato do senador José Sarney (PMDB-AP), Gilvam Borges (PMDB), e elegeu-se senador do Amapá neste domingo (5).

Durante a campanha, Davi se manteve em segundo lugar nas pesquisas, com diferença de quase 15% das intenções de voto do primeiro colocado, Gilvam.

Além do peemedebista, Alcolumbre disputou a vaga com outros oito candidatos: Coronel Palmira (PTC), Dora Nascimento (PT), Marquinho Abreu (PRTB), Moisés (PEN), Pastor Jorvan (PRP), Professor Paulo Ricardo (PSTU), Raquel Capiberibe (PMN) e Ricardo Vilhena (PCB).

Na pesquisa Ibope divulgada no dia 13 de setembro, Gilvam marcou 33% das intenções de voto, enquanto Davi teve 19%.

A candidata do PT, Dora Nascimento, pontuou em 9%. Já Moisés (PEN) ficou com 7%, e a Coronel Palmira (PTC), 3% das intenções de voto. Pastor Jorvan (PRP) e Raquel Capiberibe (PMN) marcaram 2% cada um. Professor Paulo Ricardo (PSTU) e Marquinho Abreu (PRTB) pontuaram em 1% cada um. Ricardo Vilhena (PCB) não pontuou. Votos brancos e nulos somaram 9% e indecisos,14%.

O novo senador declarou ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que os gastos da campanha dele poderiam chegar até R$ 11 milhões. Na declaração de bens, o político disse que possui uma casa em Macapá no valor de R$ 585 mil.

Das três vagas para o Senado, a que estava em disputa este ano era ocupada pelo senador José Sarney (PMDB-AP), que desistiu de tentar se reeleger para o 7º mandato. As outras duas vagas são ocupadas pelos senadores João Capiberibe (PSB) e Randolfe Rodrigues (PSOL) até 2019.

Gilvam Borges se lançou candidato pelo PMDB porque Sarney desistiu de tentar reeleição.

Sarney, que tem 84 anos e quase seis décadas de vida pública, disse que irá dedicar-se à família e cuidar da saúde da mulher dele, Marly, que passou por repetidas cirurgias e lentos processos de recuperação. A decisão de Sarney foi divulgada no dia 23 de junho.

“Essa decisão já estava tomada. Entendo que é chegada a hora de parar um pouco com esse ritmo de vida pública que consumiu quase 60 anos de minha vida e afastou-me muito do convívio familiar”, afirmou Sarney.

Fonte: UOL Notícias

Deixe um comentário