José Melo, do PROS, é reeleito governador do Amazonas

Candidato à reeleição teve a maioria dos votos válidos, no segundo turno. Apuração dos votos no estado começou às 18 horas, horário local.

José Melo, do PROS, foi reeleito neste domingo (26) governador do Amazonas para os próximos quatro anos.  Com 93% das urnas apuradas, o candidato teve 55,77% dos votos válidos.

José Melo faz 'V' de vitória após votação no segundo turno (Foto: Divulgação/Assessoria)

José Melo, de 68 anos, é economista formado pela Universidade Federal do Amazonas.  Atual governador do Amazonas, ele foi deputado federal duas vezes, em 1994 e em 1998.  Em 2002, elegeu-se deputado estadual.  O candidato já atuou como delegado do Ministério da Educação e Cultura, foi secretário de Educação e Cultura e secretário Municipal de Educação.  Também esteve à frente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Amazonas (Idam), da Secretaria de Estado de Coordenação do Interior (Seint) e da Sociedade de Navegação Portos e Hidrovias do Amazonas (SNPH).  Em 2006, assumiu a Secretaria de Governo do Amazonas (Segov).  Em abril de 2014, Melo assumiu o cargo de governador após a desincompatibilização de Omar Aziz, de quem era vice-governador.

Campanha

Durante toda a campanha do 1º turno, José Melo apareceu em segundo lugar nas pesquisas eleitorais divulgadas pela TV Amazonas.  Levantamento feito pelo G1 mostrou que o atual governador obteve a maioria dos votos válidos em 25 cidades, incluindo Manaus – maior colégio eleitoral do estado -, com 40,39% contra 37,89% do adversário.  O senador e ex-governador, Eduardo Braga, venceu a disputa eleitoral em 37 dos 62 municípios no primeiro turno.

No entanto, o candidato do PROS à reeleição assumiu a liderança no segundo turno. Apesar disso, a última pesquisa divulgada um dia antes da votação, Braga e José Melo apareciam empatados com 50% dos votos válidos, cada.

No segundo turno, o candidato do PROS recebeu apoio do candidato Marcelo Ramos (PSB). Ramos obteve 179.758 votos (10,94%), ficando em terceiro lugar na disputa. O Partido Socialista Brasileiro (PSB) no Amazonas também fez aliança com Melo.

Trocas de acusações marcaram a disputa entre os dois candidatos em programas de Tvs no segundo turno. Em um dos casos, o candidato adversário de Melo citou o suposto envolvimento da candidatura do governador com facções criminosas. Melo negou afirmando que as gravações foram forjadas. O suposto uso da estrutura policial do estado em favor da campanha de Melo também foi usado contra ele nas campanhas.

José Melo chegou a se negar a participar de um debate realizado por uma TV local.

Durante sua campanha, José Melo destacou a ideia de construir escolas de tempo integral em todos os municípios do Amazonas, ampliar o número de leitos de hospitais para 900 e construir o banco do povo com apoio da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam). Ele afirmou ainda que deverá asfaltar estradas vicinais e que pretende reformar a área da Manaus Moderna, no Centro de Manaus.

Fonte: G1

Deixe um comentário