Queda de energia em Rondônia não compromete votação, diz TRE

Duas pessoas foram presas hoje (26) em Porto Velho: uma por falsificação de documento e utilização de dois títulos eleitorais, e outra por tirar foto no momento da votação. Pela manhã, houve uma prisão, por transporte de propaganda eleitoral, em Cacoal, a quase 300 km da capital. As eleições em Rondônia foram marcadas também por quedas temporárias de energia em alguns locais, mas não comprometeram o pleito, de acordo com informação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RO).

Apesar dos incidentes, as eleições foram tranquilas, com apenas 90 das 3.629 urnas substituídas em todo o estado, segundo boletim do tribunal, e o Disque Eleições recebeu, até o final das votações, 263 denúncias. “Quando iniciamos o trabalho de segurança das eleições aqui em Rondônia (não mencionou quando), tínhamos um número elevadíssimo de crimes e de ilícitos eleitorais confirmados, mas a cada ano isso vem diminuindo”, diz Lia Maria Araújo, coordenadora de Segurança das Eleições do TRE local. “Então, a gente vê que, este ano, as pessoas, os eleitores e os candidatos também, eu creio, estão mais conscientes.”

A capital não registrou casos de derramamento de propaganda eleitoral nas ruas. O presidente do TRE-RO, desembargador Péricles Moreira Chagas, disse que a limpeza das ruas reflete a decisão do tribunal de fixar multa de R$ 100 mil para o candidato que tiver panfletos de propaganda espalhados pelas ruas.

A medida foi tomada a partir de pedido do Ministério Público, que entrou com denúncias depois do primeiro turno, quando a cidade ficou coberta dos chamados “santinhos”. “Quase que escorreguei de tanto panfleto que tinha aqui no portão do Colégio Castelo Branco”, conta a técnica previdenciária Mirlene Lobo. “Agora, graças a Deus, nada de panfletagem. Estou vendo as urnas limpas. Acho que foi boa [coisa] que o TRE fez em questão dos nossos candidatos, né?”

Em Cacoal, cabos eleitorais foram flagrados, pela manhã, com panfletos, e o promotor local determinou, imediatamente, a limpeza da via. Segundo a coordenadora de Segurança das Eleições, no interior do estado houve alguns registros de descumprimento da decisão. “É necessário que se vá com mais força para o interior, com mais pessoas, mais meios, porque no interior temos um quantitativo de polícia menor, tudo é mais escasso, e não se consegue fazer a fiscalização necessária que a situação exige”, avalia Lia Maria.

Por: Aline Moraes
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Stênio Ribeiro

Deixe um comentário