Al Gore inicia treinamento para líderes em mudanças climáticas

Albert Gore foi o responsável pelo conteúdo do segundo dia do Climate Reality, evento que acontece no Rio de Janeiro e pretende consolidar uma rede global de pessoas que influenciem decisões de governos e empresas. O evento é resultado de uma parceria da Amigos da Terra – Amazônia Brasileira que se uniu ao Climate Reality Project, organização criada pelo Prêmio Nobel Al Gore.

Durante todo o dia o ex-vice presidente dos Estados Unidos apresentou exemplos de cidades e pessoas que foram impactadas pelas mudanças climáticas. “Os treze dos quatorzes anos mais quentes estão nesse século e há duas semanas em Brasília houve o recorde de 36º foi quebrado”. Em 2014, partes do Brasil tiveram o mês de janeiro mais quente registrado, entre elas São Paulo com uma máxima de 31,9ºC e a média diária de 25ºC. Em Indaial, no estado de Santa Catarina, foi registrada uma temperatura de 41,2ºC.

O aquecimento global faz com que os oceanos geram mais vapores e aumente o volume de chuvas em algumas regiões, além de aumentar o número de desastres naturais que estão se tornando mais frequentes e mais graves. O número médio de desastres anuais foi 12 na primeira metade do século vinte, e aumentou para 350 em 2004.

No Brasil

A formação das chuvas no Brasil acontece principalmente na Amazônia, mas por causa do desmatamento  o fluxo de umidade entre o Norte e o Sul do país não ocorre, causando secas nessas regiões. As conclusões dessa pesquisa foram divulgadas dia 30 do mês passado pela rede Articulação Regional Amazônia e disponível no relatório “O Futuro Climático da Amazônia”

Exercito climático

Rodrigo Rosa esteve no evento durante a manhã para representar Eduardo Paes, que não pôde comparecer devido a compromissos políticos e apresentou medidas adotadas pelo Rio de Janeiro para combater as mudanças climáticas. Segundo ele, há um esforço conjunto de diversos projetos que pretender reduzir as emissões em “430 mil toneladas até 2020 e no acumulado um total de 13 gigas toneladas”.

Ele citou que cidades costeiras, como é o Rio, tendem a sofrer ainda mais diretamente os impactos das mudanças climáticas. Rosa acredita que é necessário tornar as cidades mais resilientes e que “capacitar lideranças é uma das formas mais eficazes de fazer essa resiliência”. Por fim, afirmou que “nos cariocas temos a honra de nos juntarmos a esse exercito climático”.

Acompanhe o evento pelo twitter pela hastag

Fonte: Amazônia.org.br

Deixe um comentário