MT: Produtor rural se acorrenta em cruz diante da Prefeitura

O morador de uma comunidade rural localizada em Cuiabá se acorrentou em uma cruz em frente à Prefeitura, no Centro, como forma de protesto. Acontece que há cinco meses a ponte de madeira que dá acesso à Região do Coxipó Mirim foi queimada e, desde então, as famílias estão praticamente isoladas.

O protesto do vigia noturno e pequeno produtor rural, Paulo Marques, mais conhecido como Paulão, de 52 anos, começou por volta das 9 horas e se estendeu ao longo do dia. De mãos abertas e estendidas sobre a cruz, ele clamava pela construção de uma nova ponte sobre o córrego Piçarrão, próximo ao quilômetro 4 da Estrada Dr. Meirelles.

“A ponte foi queimada há cinco meses. A prefeitura mandou tirar fotos do local, mas não tomou nenhuma providencia. Desde estão, estamos isolados. Tivemos que abrir uma lateral para fazer um desvio e permitir alguma passagem à comunidade”, criticou Paulão que integra a Associação de Pequenos Produtores e Famílias do Coxipó Mirim.

Por conta da situação, as crianças e adolescentes em idade escolar precisam ser carregados nas costas dos pais ou responsáveis para poder estudar. “Isso quando não está chovendo, por que quando chove, a gente está no ‘sal’. Não temos policiamento e até o Samu não chega até a região. A zona rural de Cuiabá está abandonada”, afirmou.

Por volta das 11 horas, Paulão decidiu deslocar-se até à Câmara de Vereadores, onde tentaria obter ajuda ou apoio dos parlamentares. Após retornaria à Prefeitura Municipal, onde pretendia ficar até que o corpo aguentasse. “Pretendo ficar até cair”, disse.

Proprietária de um terreno na região, Maria Elisa Oliveira apoiou o protesto. “As pessoas que moram por lá precisam dessa ponte. É extremamente importante”, afirmou destacando que a ponte de madeira, antes de ser queimada, já estava bastante comprometida e oferecia riscos às pessoas que faziam a travessia.

LICITAÇÃO

Por meio da assessoria de imprensa, a Prefeitura de Cuiabá informou que a empresa Eco Pontes venceu licitação para a construção de cinco pontes de aço e concreto em áreas rurais da cidade. Entre elas, está incluída a do Córrego Piçarrão, que terá 15 metros. O valor da obra é de R$ 325 mil.

As outras travessias estão previstas para serem construídas sobre o Rio Coxipó-Acú, no Distrito de Aguaçú, no Rio das Pedras I/Fazenda Velha, no Rio das Pedras II, na região do Barreiro Buritizal, e sobre o Córrego Gumitá, entre os bairros Planalto e Novo Horizonte. No total, o investimento é da ordem de R$ 2,7 milhões. A previsão é que os trabalhos iniciam nos próximos dias e o prazo de conclusão é de 10 meses.

Fonte: Diário de Cuiabá

Deixe um comentário