Vozes Indígenas, sobre povos ameaçados de extinção, será o projeto da América Latina na 56ª Bienal de Veneza

Vai ter muita coisa bacana na 56ª Bienal de Veneza (09/05 a 22/11/2015)! No Pavilhão da América Latina (IILA – Istituto Italo-Latinoamericano), vai acontecer o projeto Vozes Indígenas. O texto da curadoria ressalta o fato de existir uma população indígena com aproximadamente 28 milhões de pessoas, na América Latina; e aponta a variedade de idiomas falados pelos povos originários e o fato de muitos desses idiomas estarem desaparecendo. Vozes Indígenas é alicerçado nisso: no resgate do idioma. Para tanto, foram selecionados artistas com vínculos junto ao legado linguístico indígena e esses artistas levaram 14 idiomas, não apenas por sua relevância histórica e cultural, ou do seu grupo étnico, mas pensando no risco de extinção a que esses línguas estão expostas.

Os indígenas brasileiros estarão presentes através dos dois trabalhos exemplificados abaixo “Uma voz e um corpo que fala” , de Adriana Barreto, sobre os Sateré-Maué da Amazônia; e o de Paulo Nazareth, sobre os Kaiowá de Mato Grosso do Sul. Mais informações sobre os artistas participantes, idiomas, obras, textos e áudio (com as línguas indígenas que estão no projeto), AQUI. Texto da Curadoria, AQUI.

Por: Lara Schneider
Fonte: Racismo Ambiental

Deixe um comentário