Nível do Rio Acre na capital supera em 14 cm marca histórica de 1997

Ás 9h de hoje, manancial chegou a 17,80 metros em Rio Branco - Foto: Arison Jardim/Secom

O nível das águas do Rio Acre na capital acreana chegou a 17,80 metros às 9h da manhã desta segunda-feira, 2, e já superou a cheia histórica de 1997, quando o manancial atingiu 17,66 metros. Das 6h da manhã de hoje, quando a marca estava em 17,75 metros, houve um aumento de cinco centímetros em apenas duas horas.

Ao todo, 38 bairros de Rio Branco são afetados pela alagação; cerca de seis mil pessoas estão desabrigadas; e 53 mil foram afetadas pela enchente. No último domingo, 1, o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, decretou estado de calamidade pública na cidade.

Dos cinco novos abrigos que foram montados para receber as vítimas da cheia, três já estão lotados. Nesta segunda e terça-feira, 3, o governo do Estado e a prefeitura de Rio Branco decretaram ponto facultativo. Auxílio dos funcionários públicos na assistência às famílias desabrigadas foi pedido pelo Governo.

As aulas na rede estadual de ensino em Rio Branco foram suspensas pela Secretaria de Estado de Educação (SEE) ainda no domingo, 1. A decisão foi tomada para não prejudicar alunos removidos para os abrigos.

A SEE informou que o calendário anual será reprogramado para que sejam efetuadas as 800 horas aulas nos 200 dias letivos. A previsão inicial é que as aulas sejam restabelecidas no dia 9, porém, dependerá do nível do rio durante esta semana.

Serviços essenciais como de limpeza, coleta de lixo, conservação da cidade, atendimento nos Centros de Atendimento ao Cidadão (CAC) e na OCA ocorrem normalmente. As Unidades de Referência de Atenção Primária (URAPs) e Centros de Saúde, também terão funcionamento normal.

Abrigos

Os abrigos da capital já possuem 1.539 famílias, um total de 5.450 pessoas. O Parque de Exposições Marechal Castelo Branco, aloja 1.395 famílias. O Sest-Senat, segundo abrigo montado, também está lotado com 168 famílias, assim como o abrigo no Sesc, com 150 famílias.

O Ginásio do Sesi também é usado como abrigo e começou a receber as primeiras famílias. Está é a terceira grande enchente que atinge a capital acreana. Além da cheia histórica de 1997, quando o Rio Acre chegou a 17,66 metros, outra grande alagação aconteceu em 2012, quando o nível chegou à marca de 17,64 metros.

Fonte: Página 20

Deixe um comentário