Prefeito de Iranduba no AM presta depoimento sobre desvio de verbas

Operação do MPE-AM investiga esquema fraudulento na Prefeitura. São investigados fraudes em contratos de obras, estimados em R$ 56 mi.

O Prefeito da cidade de Iranduba, Xinaik Silva Medeiros, presta depoimento sobre um suposto esquema de desvio de verbas públicas e fraudes em licitações de obras do município, nesta terça-feira (10), na sede do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), em Manaus. Medeiros era considerado foragido nesta manhã, mas se apresentou no órgão acompanhado de um advogado.

Uma operação investiga o esquema fraudulento. De acordo com o MPE, são investigados crimes em contratos de obras, serviços de aquisição de materiais estimados em R$ 56 milhões.

O MPE informou que “foram decretadas as prisões preventivas do Prefeito e do Secretário de Finanças do município, e as prisões temporárias do presidente da Comissão Permanente de Licitação, da tesouraria do Fundo Municipal de Saúde e do secretário Municipal de Infraestrutura”. Além disso, 15 pessoas, incluindo funcionários públicos e empresários, tiveram a condução coercitiva (quando a pessoa é obrigada a prestar depoimento) determinada pelo órgão.

Três pessoas foram presas durante os cumprimentos de mandados nesta terça. O prefeito Xinaik Silva Medeiros não foi encontrado no início da manhã na residência onde mora em Iranduba. No entanto, advogados de defesa acionaram o MPE para comunicar que o prefeito iria se entregar na sede do órgão. Por volta das 10h10, ele chegou ao local acompanhado da defesa.

O secretário Municipal de Infraestrutura, até o momento, não foi localizado, segundo informou a assessoria do Ministério Público.

Operação

O procurador geral de justiça no Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), Fábio Monteiro, disse que a investigação para identificar as irregularidades tiveram início há cerca de três meses a partir de fraudes em licitações.

“Em cruzamento de dados com o Tribunal de Contas do Estado e o Tribunal de Contas da União, identificamos diversas irregularidades em Iranduba, especificamente, desvio de verbas, verbas que empresários que ganhavam licitação eram obrigados a pagar propinas para dirigentes do município, das secretárias e até o prefeito. Além de outras situações em que o prefeito, em parcerias com esses empresários, recebia determinado montante de verbas”, disse Monteiro.

De acordo com o procurador geral, estão sendo cumpridos mandados de busca, apreensão e prisão em Manaus e em Iranduba, que fica na Região Metropolitana da cidade. A ação conta com a o apoio da Secretária de Segurança Pública do Amazonas (SSP). Fábio Monteiro informou ainda que membros da Controladoria-Geral da União (CGU) estão em Manaus para acompanhar a situação.

Por: Adneison Severiano
Fonte: G1

Deixe um comentário