Médicos da Floresta: voluntariado em terras indígenas da Amazônia vira filme

Gravado em terras Yanomami e do Alto Xingu, longa-metragem foi lançado nas principais plataformas digitais

Foto: Divulgação/Bravo Cinematográfica
Foto: Divulgação/Bravo Cinematográfica

Imagine enxergar novamente após 20 anos na escuridão. São momentos como esse que o filme Médicos da Floresta retrata quando a vista de idosos indígenas da Amazônia é restaurada por oftalmologistas voluntários. O documentário em longa-metragem, dirigido por Jun Sakuma (de Citando Borges), acompanha o trabalho dos Expedicionários da Saúde, OSCIP criada e coordenada por Ricardo Affonso Ferreira que reúne médicos, enfermeiros e apoiadores voluntários para levar saúde, principalmente cirúrgica, à comunidades geograficamente isoladas.

Além de cirurgiões, a equipe conta com profissionais de diversas especialidades para atendimento clínico como ginecologistas, pediatras, dentistas e clínicos gerais. Em expedições que duram de 10 à 20 dias, os Expedicionários da Saúde conseguem realizar centenas de cirurgias e milhares de atendimentos em cada comunidade que visitam. Até a 33ª expedição, de 2015, já haviam sido realizadas 5.460 cirurgias e 35.025 atendimentos.

Nas expedições retratadas no filme, a equipe de oftalmologia era composta majoritariamente por nikkeys. Entre eles: Dr. Takashi Nakano (São Paulo), Dr. Takashi Hida (Brasilia), Dr. Fernando Kimura (Rio de Janeiro) e Dr. Fábio Nero Mitsuushi (Campinas).

Gravado em terras Yanomami e do Alto Xingu, Médicos da Floresta acaba de ser lançado nas principais plataformas digitais pela O2 Play, distribuidora de Fernando Meirelles. Tem a duração de 86 minutos e pode ser comprado ou locado via iTunes e GooglePlay.

Fonte: Portal Amazônia

Deixe um comentário