Presidente da Funai se reúne com associações indígenas de Roraima

Reuniões ocorreram nesta quarta-feira (20), na sede da Funai em Boa Vista. Associações levaram problemas como garimpo e falta de infraestrutura.

O presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), João Pedro Gonçalves, se reuniu nesta quarta-feira (20) com representantes de associações indígenas de Roraima para tratar das demandas apresentadas pelas comunidades. O encontro foi realizado na sede da Funai em Boa Vista.

Duas reuniãos foram realizadas, uma com o Conselho Indígena de Roraima (CIR) e outra com a Sociedade de Defesa dos Índios Unidos de Roraima (Sodiur) e a Aliança de Integração e Desenvolvimento das Comunidades Indígenas de Roraima (Alidicir).

O CIR apresentou ao presidente uma carta com 16 itens. O principal, segundo a assessora do conselho, Maira Wapixana, trata sobre a fiscalização precária nas terras indígenas que facilita o garimpo e invasões na região.

Já o presidente da Alidcir, Anízio Lima, afirmou que representava cerca 21 comunidades na região do município de Pacaraima. “O município tem pontos positivos como a escola, os cursos superiores para os índios, hospital e a facilidade de atendimento de trabalho social no município”, destacou.

Entre os pontos negativos, o líder afirmou que a localização do lixão do município é um problema ecológico que atinge as comunidades.

“Todo o lixo cai nos afluentes dos igarapés que vão para as comunidades indígenas. Temos também a questão da venda de terras ilegais. Queremos uma definição para isso com o presidente”, disse Lima.

O representante da Sodiur, Altevir de Sousa, destacou que a associação possui planos de ação para incentivar a agricultura e o ecoturismo. “Queremos explorar o ecoturismo dentro das áreas indígenas e dessa forma gerar mais recurso para as comunidades. No setor da agricultura também”.

Os representantes esperavam obter na reunião um posicionamento sobre os problemas apresentados. “Esperamos que a Funai apresente soluções para atender as comunidades indígenas visando a economia, porque não adianta a gente ter tanta terra e ficar isolado”, disse o presidente da Alidcir.

A reportagem foi informada por um representante da Funai que em razão da agenda do presidente, o mesmo não poderia dar entrevista após a reunião.

Por: Inaê Brandão
Fonte: G1

Deixe um comentário