Sem energia, indígenas de RR terão de pagar R$ 7 mil para consertar motor

Comunidade Olho D’Água está desde novembro sem gerador de energia. Governo informou que mandará equipe ao local para averiguar falta de luz.

Indígenas da comunidade Olho D’Água, no município de Normandia, Norte de Roraima, estão há três meses sem energia. De acordo Jucilene de Oliveira, moradora da região, o motor que gera luz quebrou no mês de novembro e, somente em dezembro, servidores da Companhia Energética de Roraim (Cerr) buscaram o equipamento para consertar. O Governo informou que uma equipe será enviada à região.

“Para termos o gerador de volta, teremos de pagar o conserto de R$ 7 mil. Não temos esse dinheiro. O caminhão da Cerr buscou o equipamento mês passado e trouxe para Boa Vista. O tuxaua [líder indígena] da comunidade foi informado que era preciso conseguir o dinheiro para recuperar o motor”, diz Jucilene.

Ela disse que uma comitiva de sete indígenas veio à capital em busca de solucionar o impasse do conserto do motor gerador de energia.

Conforme Jucilene, a comunidade com quase 200 pessoas tem enfrentado dificuldades em dar andamento nos afazeres domésticos.

“As aulas na escola estão paradas. O serviço de saúde que vai à comunidade tem um horário específico, pois eles atendem só pela manhã devido à falta de energia. Nós já procuramos alguns políticos, mas até o momento não tivemos um apoio”, lamenta, acrescetando que a comitiva se dividiu em grupos com o propósito de encontrar um resultado positivo em Boa Vista.

Os indígenas pretendem voltar à comunidade com o gerador de energia funcionando. Lucineide afirma que a Cerr não quer se responsabilizar pelo custo do gerador. “Queremos saber quem pagará esse conserto. Ninguém nos diz nada”, conclui.

A Secretaria de Comunicação Social do Governo esclareceu que a Cerr averiguará a situação da energia elétrica na comunidade Olho D’Água, município de Normandia. Uma equipe será enviada ao local, nesta sexta-feira (22), para atender o mais breve possível os consumidores daquela localidade.

Por: Marcelo Marques
Fonte: G1

Deixe um comentário