Servidores da Suframa paralisam serviços no interior do Acre

Funcionários reclamam de falta de estrutura no escritório. Novo ambiente provisório foi fornecido e serviços devem voltar na terça (19).

Alegando falta de estrutura no prédio em que trabalham atualmente, os servidores da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) da área de Epitaciolândia e Brasiléia estão com os serviços paralizados desde a segunda-feira (13). Após o impasse, o órgão junto com o governo do estado providenciaram um lugar provisório, nesta terça (14). Os serviços devem voltar ao normal daqui há uma semana, segundo os funcionários.

De acordo com o chefe operacional da Suframa na região, Onassis Amorim Cristiano, eles pedem por melhores condições de trabalho. “O espaço é pequeno, a internet que é fundamental para nosso trabalho é ruim. As vezes não funciona por não ter sido paga. Não temos serviços de limpeza e a água potável nós tiramos do bolso”, reclama.

Sobre o local provisório, disponibilizado aos funcionários, Cristiano disse que os serviços devem voltar ao normal a partir da terça (19). “Vamos nos mudar para lá na segunda e devemos voltar a trabalhar na terça. Mas também é provisório, aceitamos de 30 a 60 dias”, explica.

Alex Pinto de Oliveira trabalha no órgão há um ano e meio e disse que o atual prédio em que eles trabalham quando foi entregue seria utilizado por apenas dois meses. “Já estávamos esgotados, não tem estrutura para o serviço da Suframa, nem para atender o público. Tem calor, sujeira e barulho das máquinas na garagem”, reclama.

Atualmente, o escritório da Suframa fica na Secretaria Municipal de Obras de Epitacionlândia, junto a Secretaria de Meio Ambiente. Os quatro funcionários trabalham no local desde o fim da cheia do Rio Acre em 2015. Segundo Cristiano, o antigo escritório foi atingido pelas águas e por isso foram transferidos provisoriamente.

Fonte: G1

Deixe um comentário