Moradores reclamam de desmatamento

Nos últimos dias, dezenas de árvores foram derrubadas para continuidade das obras do Parque das Águas, na Lagoa Paiaguás, no Centro Político Administrativo (CPA). O cenário preocupa moradores das proximidades, que dizem que animais estão sendo mortos e que o clima já está mais quente na região.

A estimativa é que pelo menos 40 árvores de pequeno e grande porte tenham sido cortadas. “Não cheguei a ver animais mortos, mas tem gente dizendo que encontrou até uma capivara morta possivelmente atropelada ao tentar fugir do barulho das máquinas. O que posso garantir é que esquentou”, comentou o lavador Rafael Carvalho, 23 anos.

Carvalho conta que, no fim da tarde, ele e a esposa costumam se sentar em frente da casa onde moram e que, antes do desmatamento, o vento era bem mais fresco. “Hoje venta menos, o ar está mais quente e faz mais calor”, disse, criticando ainda a falta de sinalização adequada ao longo da pista que margeia a obra.

A polêmica ganhou as redes sociais. Na página “Cuiabá arborizada”, criada em apoio à arborização da capital que um dia já foi chamada de “Cidade Verde”, os internautas criticam os cortes. “Esse mundo está perdido! Que espécie de parque é esse que retiram as árvores ao invés de plantar. Só em Cuiabá mesmo!”, critica Luiz Fernando, um dos internautas.

A reportagem do Diário tentou falar com representantes da prefeitura sobre o assunto, mas não conseguiu. Na semana passada, a administração municipal retomou as obras para a construção do parque. A execução do projeto foi interrompida no final do ano passado, devido aos trâmites e rescisão do contrato com o Ministério do Turismo.

De acordo com a assessoria de imprensa, a obra, orçada em R$9,5 milhões, será levada adiante com recursos do município em parceria com a Assembleia Legislativa e o Governo do Estado de Mato Grosso. A previsão é que o parque seja entregue em setembro deste ano.

A área de lazer terá um total de 270 mil m². Serão 1.500 metros de pista de corrida e caminhada, 1.600 metros de ciclovia, dois quiosques, duas academias ao ar livre, dois parquinhos infantis, um mirante e um estacionamento com mil vagas.

Ainda, conforme a assessoria, no período noturno, os visitantes poderão conferir um espetáculo com fontes luminosas no centro da lagoa, que possui 80 mil metros quadrados de lâmina d’água. O acesso ao parque será feito pelo Centro Político e Administrativo (CPA), em frente à Assembleia Legislativa, pelo bairro Paiaguás, e pela Avenida Dr. Hélio Ribeiro.

Por: Joanice de Deus
Fonte: Diário de Cuiabá

Deixe um comentário