Ex-ministro de MT é inocentado pela PF por fraudes com lotes destinados à reforma agrária

O pedido de investigação para apurar possível beneficiamento do ex-ministro da Agricultura, Neri Geller (PMDB), a lotes destinados para a reforma agrária no município de Lucas do Rio Verde foi arquivado pela Comissão de Ética Pública da Presidência da República. O arquivamento ocorreu em 28 de janeiro deste ano após a constatação da inexistência de elementos que comprovassem relação entre o ministro e a fraude, como suspeitava a Operação Terra Prometida.

Geller foi ministro da Agricultura de março a dezembro de 2014 no primeiro mandado da presidente Dilma Rousseff.

O despacho é assinado pelo relator Conselheiro Mauro de Azevedo Menezes. A investigação havia sido instaurada, conforme o despacho, em dezembro de 2014, quando Geller ainda era ministro da Agricultura.

O procedimento foi instaurado pela Comissão de Ética Pública da Presidência da República (CEP) diante a ciência de noticiário em que a referida ex-autoridade abrangida teria sido beneficiada indevidamente e de madeira fraudulenta pela apropriação de lotes destinados à Reforma Agrária , como destaca o parecer obtido pelo.

Ainda segundo o documento, em junho de 2015 a Comissão solicitou informações à Polícia Federal quanto às investigações da Operação Terra Prometida, bem como se havia alguma relação com o ex-ministro.

Conforme comunicado do delegado da Polícia Federal Braulio Cezar da Silva Galloni, enviado para a Comissão em 27 de agosto do ano passado, Geller nunca foi investigado na Operação terra Prometida, apesar de seu nome ter sido citado nas investigações. Em seu ofício o delegado da Polícia Federal afirmou que não há nos autos elementos de informação que demonstrem a participação do ex-Ministro nos crimes em apuração na operação terra Prometida .

Em seu despacho o Conselheiro Mauro de Azevedo Menezes destaca que voto pelo arquivamento do procedimento de apuração aberto de ofício pela CEP, ante a notícia oficial de que não consta no referido inquérito policial a coleta de informações ou fatos que incriminem a ex-autoridade no que se refere à ocorrência de fraudes na apropriação de lotes destinados à Reforma Agrária .

Operação Terra Prometida

A Operação Terra Prometida foi desencadeada pela Polícia Federal em Mato Grosso no dia 27 de novembro de 2014. Foram cumpridos mandados em Cuiabá e no interior do estado, como em Ipiranga do Norte. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal em Diamantino para apurar fraudes em assentamentos rurais e crimes ambientais que teriam lesado o erário em mais de R$ 1 bilhão.

Dois irmãos do ex-ministro Neri Geller, Odair Geller e Milton Geller, além do ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Marino Franz (PSDB) estavam entre os investigados

Fonte: Olhar Direto

Deixe um comentário