Obra da BR-319 é foco de autoridades da Amazônia

Desenvolvimento da Amazônia passa pela reconstrução da BR-319, diz presidente do Parlamento Amazônico

A retomada da obra de recuperação do chamado trecho do meio (entre os quilômetros 250 e 655) da BR-319 é um dos atuais focos de luta dos deputados estaduais da Amazônia. A informação é do presidente do Parlamento Amazônico, o deputado estadual Sinésio Campos (PT/AM), e foi divulgada nesta quarta-feira (23), em Porto Velho, durante a sexta reunião ampliada do Parlamento Amazônico, na atual gestão.

Embargada pelo Ibama, a recuperação do trecho do meio foi defendida, também, por representante da indústria, comércio e defesa. Para o presidente da Fecomércio-AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Amazonas), José Roberto Tadros, “é indispensável para Roraima, Amazonas e Rondônia ter uma ligação por via terrestre entre esses três Estados e também com o restante do Brasil, com exceção de Rondônia que tem outras opções terrestre com o país.

A falta da estrada prejudica, e muito, o crescimento econômico desses Estados”. Já o comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva do Exército Brasileiro, general de brigada Costa Neves, que participou da reunião ampliada como palestrante, disse que a recuperação da BR-319 auxiliaria o trabalho do Exército. “Se a BR-319 existisse de verdade, em toda a sua extensão, o trabalho de fiscalização de contrabando e desmatamento, por exemplo, seria muito mais efetivo”.

“O desenvolvimento da Amazônia passa pela reconstrução da BR-319. Não podemos aceitar que a rodovia que já existe, só precisa de reforma, fique parada desse jeito para impedir o crescimento de toda uma região”, declarou Sinésio Campos. Ele adiantou que os deputados do Parlamento Amazônico estarão em Brasília, dia 30 de março, para uma audiência pública da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado, onde um dos itens da pauta é a reforma da BR-319.

A sexta reunião ampliada do Parlamento Amazônico ocorreu na Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia e, além da BR-319, também serviu como palco de debate sobre o papel da Suframa no desenvolvimento regional.

Fonte: Portal Amazônia

Deixe um comentário