SFB entrega III Prêmio de Economia e Mercado Florestal

Foram distribuídos R$ 53 mil aos vencedores, selecionados entre 42 trabalhos inscritos

O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) realizou nesta terça-feira, 22, em Brasília, na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a cerimônia de premiação do III Prêmio SFB em Estudos de Economia e Mercado Florestal, que tem por finalidade estimular estudos de Economia e Mercado Florestal, focando a produção sustentável no Brasil, os seus desafios e perspectivas socioeconômicas e ambientais.

O Prêmio, realizado anualmente, é aberto a graduandos e profissionais e distribuiu, este ano, R$ 53 mil entre os vencedores. Neste ano foram recebidos 42 trabalhos que abordaram temas como manejo comunitário, concessões, tributação, ecoturismo e Cadastro Ambiental Rural (CAR), dentre outros.

Neste ano foram agraciados os seguintes autores e trabalhos:

CATEGORIA GRADUANDOS

1º Lugar: Bruno Pereira

Título: Otimização da Produção Madeireira de um Povoamento de Eucalipto

CATEGORIA PROFISSIONAIS

1º Lugar: Alan Ferreira Batista

Título: O Uso de Ferramentas de Otimização para Concessões Florestais na Amazônia: uma Abordagem Econômica

2º Lugar: Marcio Augusto Sekef Sallem

Título: Um Arcabouço de Contas Econômicas Ambientais para Mensuração da Sustentabilidade Florestal

3º Lugar: João Carlos de Pádua Andrade

Título: Manejo Florestal no Estado do Espirito Santo: o Cultivo da Palmeira Juçara (Euterpe edulis) como Alternativa Econômica e Ambiental

Menção Honrosa: Autora: Simone Anacleto

Título: ITR como Incentivo à Preservação Ambiental de Florestas: alguns Problemas e as Soluções

10 anos de Serviço Florestal Brasileiro

A cerimônia de entrega dos prêmios contou com uma homenagem especial ao Serviço Florestal Brasileiro pela passagem de seus dez anos de existência, completados no último dia 2 de março.

O Serviço Florestal Brasileiro foi criado em 2006 pela Lei de Gestão de Florestas Públicas (Lei no 11.284/06) no Ministério do Meio Ambiente. Sua missão é promover o conhecimento o uso sustentável e a ampliação da cobertura florestal, tornando a agenda florestal estratégica para a economia do país.

Fonte: SFB

Deixe um comentário