Líderes extrativistas e Conab discutem perspectivas de inclusão socioprodutiva

Líderes extrativistas de borracha, açaí, andiroba, cacau e piaçava do Amazonas e regiões próximas ao estado irão dialogar com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e demais órgãos do governo federal, estadual e municipal sobre políticas públicas e ações de inclusão socioprodutiva na região. O encontro, que acontece hoje, em Manaus, deve resultar em um plano de ação para ampliar o acesso dos extrativistas amazonenses à Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio).

O diálogo, desenvolvido em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) durante o Painel de Desafios para a Implementação da PGPM-Bio, contará com representantes do MDA e do Ministério do Meio Ambiente (MMA), secretarias de estado, entre outros órgãos, além dos líderes extrativistas. A Conab será representada pela gerente de Produtos da Sociobiodiversidade da Companhia, Ianelli Sobral Loureiro,

A expectativa, a partir do plano de ação da PGPM-Bio, é estabelecer uma agenda de compromissos compartilhada de forma a aprimorar e fortalecer o diálogo entre a sociedade civil e o poder público, com o compromisso socioambiental, buscando ampliar as políticas públicas no estado. Durante o evento, também será abordada a execução do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), como um dos principais programas de apoio à para comercialização da produção familiar.

A PGPM-Bio é uma subvenção do governo federal a 15 produtos do extrativismo. Os extrativistas individuais ou organizados em associações e/ou cooperativas recebem um bônus na venda do produto coletado nas florestas, quando o negócio é realizado por um preço inferior ao mínimo fixado pelo governo federal.

Nos últimos sete anos, foram aplicados mais de R$ 27 milhões na Política, que visa o fortalecimento e o desenvolvimento socioeconômico das populações tradicionais, a permanência do homem na floresta e a garantia de renda, assim como a conservação, a preservação e o uso sustentável dos recursos naturais

Fonte: Agronotícias

Deixe um comentário