Madeira doada pelo Ibama usada para outras finalidades, menos para fins sociais

Dois meses depois de ter recebido uma grande quantidade de madeira apreendida em operação de fiscalização do Ibama no interior do município e repassada para a Defesa Civil não foi utilizada como preconiza o termo de doação, ou seja, para fins sociais. A madeira seria utilizada para construção de casas e reforma de pontes das áreas alagadiças da cidade. Porém, as pontes dos Becos Submarino, na Francesa, Ademir Farias e Coronel Barreto Batista, no bairro Itaguatinga, estão em situação precária. O assoalho está deteriorado e chega a colocar em risco a vida dos moradores.

De acordo com o presidente do bairro Itaguatinga, Messias Oliveira, morador do Beco Ademir Farias, desde o ano de 2014 a Prefeitura de Parintins não realiza serviço de manutenção e restauração da ponte.

Ele fez questão de mostrar para o Repórter Parintins o estado em que se encontram as vigas, pernamancas e madeira do assoalho. Em vários trechos as vigas estão quebradas e não conseguem suportar o peso das pessoas. As tábuas do assoalho também dão sinais de desgaste pelo tempo e muitas estão quebradas. As pessoas para se deslocarem de suas casas precisam ter cuidado, pois a cada dia os vãos das madeira aumentam.

No Beco Submarino, no bairro Francesa, a reportagem também percorreu as pontes de madeira para constatar as denúncias de abandono por parte da municipalidade. Esses locais, todos os anos, enfrentam o problema da enchente do rio Amazonas.

O Repórter recebeu denúncia de que a madeira que está sendo beneficiada pela Prefeitura de Parintins, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, estaria sendo desviada de sua finalidade central que é atender famílias que foram transferidas da avenida Paraíba para o bairro União devido a obra de elevação do greide da pista.

Em entrevista concedida para o Repórter , a subsecretária de Meio Ambiente, Suene Picanço, afirma que a madeira foi empregada na construção sim de pontes no bairro União. Acontece que a reportagem percorreu o bairro e não encontrou obra nenhuma. A prefeitura construiu apenas três pequenas residências no bairro, porém não representa a madeira beneficiada na área da usina de asfalto.

Suene disse que a madeira foi doada pelo Ibama por meio de um termo de doação. “A madeira está sendo utilizada para fins sociais da comunidade, construção de pontes e de casas de pessoas deslocadas da Paraíba. Até o refugo utilizado tem que ser feito relatório e apresentado para o Ibama”, comentou Suene. A subsecretária disse que a Defesa Civil faz o acompanhamento do beneficiamento da madeira.

O superintendente do Ibama no Amazonas, Geandro Pantoja, em contato com a reportagem, disse que todas as denúncias sobre o sumiço da madeira devem ser encaminhadas para órgão em Parintins.

Por: Neudson Corrêa
Fonte: Repórter Parintins

Deixe um comentário