MT: Mais duas áreas são desocupadas

A força-tarefa montada pela Prefeitura de Cuiabá para combater invasões em 26 áreas públicas do município reintegrou ontem (27) mais duas áreas invadidas. As ações aconteceram no bairro Jardim Paulicéia e em uma área entre os bairros Aroeira e 1º de Março, na região do CPA. Durante a operação, um homem foi preso em flagrante por furto de energia elétrica e água, loteamento clandestino e crime ambiental e nove pessoas foram conduzidas à Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema).

De acordo com a Secretaria de Ordem Pública de Cuiabá (SROP), a ação contou com equipes do Ministério Público, Poder Judiciário, Polícia Militar, Polícia Civil e Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). Secretário de ordem pública, Eduardo Henrique de Souza destaca que durante os trabalhos foram retiradas ligações clandestinas de água e energia elétrica e identificada uma área de desmate com uso de fogo.

No bairro Jardim Paulicéia, a ação ocorreu de forma tranquila, segundo Souza. “No local havia apenas alguns barracos vazios que foram derrubados e duas pessoas apareceram para pedir se poderiam retirar algumas coisas do local”. Os barracos estavam em uma área verde de 1.500 m2, que pertence ao município de Cuiabá. Foram retirados 60 metros de ligações clandestinas de energia elétrica, que alimentavam 30 barracos construídos ilegalmente.

Na região do bairro CPA, em uma área considerada de preservação ambiental com nascente do córrego Três Barras, a polícia conduziu nove pessoas por invasão, para serem ouvidas na Dema. De acordo com o delegado Gianmarco Paccola, os posseiros serão ouvidos em inquérito e responsabilizados por furto de energia e de água, loteamento clandestino, crime ambiental, esbulho possessório e até associação criminosa, caso os crimes fiquem comprovados ao final das investigações. O delegado também informou que durante levantamentos na área do Aroeira foram identificados vestígios de incêndio e práticas de vários crimes ambientais.

Conforme Paccola, uma investigação é feita para identificar todas as lideranças da organização criminosa que comercializa áreas públicas. “Estamos fazendo uma apuração rigorosa em cima de lideranças, pois estão cometendo vários crimes contra o meio ambiente”. Secretário de ordem pública garante que as ações vão continuar. “Esse trabalho em conjunto com órgãos públicos e a polícia é muito importante para acabar de vez com esse esquema de venda de área pública”.

Fonte: Diário de Cuiabá

Deixe um comentário