Estiagem do rio Madeira pode paralisar balsas

O amanhecer em Humaitá, diante do estrondoso rio Madeira está diferente pois, nunca na história desse município havia surgido uma praia tão extensa como a que está diante do Porto Fluvial Admilson Brasil.

O pior é que teremos ainda pelo menos dois meses de estiagem que podem agravar ainda mais a seca nos próximos dias.

Os prejuízos por causa desta seca descontrolada já acendeu a luz vermelha de alerta. A rodovia Transamazônica já corre um sério risco de ficar sem trânsito com a paralisação da balsa de travessia do rio que ficou algumas horas paralisada está semana, por não conseguir chegar até a margem por falta de profundidade das águas.

O Ibama concedeu licença para dragagem da areia pelo menos nos locais onde a balsa possa atravessar normalmente. Ao longo do rio Madeira já existem vários pontos em que é preciso cuidado dobrado para conseguir passar sem encalhar.

Seria a natureza dando sua resposta a ousadia do homem? Essa resposta somente o tempo poderá afirmar ou desmentir. Está cada dia mais difícil o deslocamento de grandes embarcações ao longo do rio Madeira seja ele de cargas ou passageiros. Enquanto não tivermos uma solução para este problema, a situação só irá se agravar nas próximas semanas, principalmente para os moradores do município de Apuí e Distrito de Matupí.

A dragagem do rio já está sendo feita em algumas áreas em que balsas e embarcações não conseguem passar normalmente, porém o rio Madeira continua baixando suas águas agravando ainda mais a situação que já está crítica em algumas regiões em que as praias chegam a ocupar quase toda a largura do velho Madeira. A BR-319 pode ser a alternativa que garantiria o abastecimento de alimentos em Manaus, mas grande parte da rodovia não resiste a tráfego de veículos pesados.

Fonte: Diário da Amazônia