Brasileira é premiada em Congresso Mundial de Conservação

Maria Tereza é a primeira brasileira e a segunda mulher a receber o prêmio

Maria Tereza Jorge Pádua. Fernando Dias
Maria Tereza Jorge Pádua. Fernando Dias

O Tarde Nacional desta quarta-feira (21) conversou com a engenheira agrônoma e ambientalista Maria Tereza Jorge Pádua sobre sua carreira, reconhecida internacionalmente. No dia 6 de setembro deste ano, ela recebeu a Medalha John C. Phillips, a mais alta condecoração do Congresso Mundial da Conservação.

Maria Tereza é a primeira brasileira e a segunda mulher a receber o prêmio. A primeira foi Indira Gandhi, ex-primeira ministra da Índia, em 1984. Ambas têm em comum a criação de diversas áreas de conservação em seus respectivos países.

Segundo Maria Tereza, quando começou a trabalhar na Amazônia, em 1968, a região não possuía nenhum parque nacional ou reserva ecológica. Graças a ela e a um time de pesquisadores, foram criados, apenas na Amazônia, o Pico da Neblina (AM), Parque Nacional do Jaú (AM), Parque Nacional Pacaás Novos ( RO), Reserva Biológica do Rio Trombetas (PA), a Reserva Biológica do Lago Piratuba (AP), entre outros.

Maria Tereza foi responsável, ainda, pela criação do Atol das Rocas (RN), do Projeto Tamar, do Projeto Peixe Boi, do Centro Nacional de Pesquisa para a Conservação das Aves Silvestres. No total, foram 15 parques nacionais, apoio em ao menos outros 4 e implementação de diversas áreas que somam 9 milhões de hectares.

Quer saber mais? Então clique no player acima e ouça a entrevista na íntegra!

O Tarde Nacional vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 16h, na Rádio Nacional da Amazônia. A apresentação é de Juliana Maya.

Produção: Roberta Timponi e Juliana Maya
Fonte: Tarde Nacional/ EBC

Deixe um comentário