Número de acidentes aéreos no Amazonas chega a 50 em dez anos

Maior número de vítimas fatais ocorreu em 2009, em Manacapuru. Perda de controle em voo ou em pouso são causas mais comuns.

Um levantamento feito pela Força Aérea Brasileira (FAB) a pedido do G1 apontou que de 2006 a 2016, ocorreram 49 acidentes aéreos no Amazonas.  O levantamento não incluiu o último acidente, ocorrido na quarta-feira (7), quando um avião caiu em área de mata urbana na Zona Centro-Sul de Manaus.  A maioria dos casos ocorreu na capital, com 18 ocorrências do total.

Perda de controle em voo, perda de controle em solo, falha do motor em voo e colisão com obstáculo em voo estão entre os tipos mais frequentes de acidentes aéreos registrados no Amazonas.

Conforme o levantamento, 58 pessoas morreram. O acidente com maior número de vítimas foi em Manacapuru, no dia 7 de fevereiro de 2009 e vitimou 24 pessoas. Apenas quatro pessoas conseguiram sobreviver ao acidente. As vítimas saíram de Coari e seguiam para Manaus para participar de uma festa de aniversário. A FAB apontou que houve falha do motor durante o voo.

O segundo acidente com maior número de vítimas foi em Manaus, no dia 21 de abril de 2011, quando sete pessoas – cinco das vítimas eram da mesma família – foram a óbito depois que um avião Seneca EMB caiu ao decolar no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na Zona Oeste da cidade. De acordo com as investigações, perda de controle em voo foi apontada como a causa do acidente.

Em seguida estão as aeronaves que caíram na capital nos dias 13 de maio de 2010, 16 de julho de 2013 e 7 de dezembro de 2016. Em todos estes, seis pessoas morreram. No último acidente, uma aeronave de pequeno porte, Embraer 721D, de matrícula PT-REI, caiu em uma área de floresta na Zona Centro-Sul de Manaus. Houve explosão e cinco pessoas morreram. Um homem chegou a ser resgatado com vida, mas morreu horas depois. Ainda não se sabe as causas da queda da aeronave.

Do total de aeronaves que caíram em 10 anos, seis eram helicópteros e um anfíbio, que é um tipo de avião que permite a decolagem tanto em terra quanto em água.

Por: Suelen Gonçalves
Fonte: G1

Deixe um comentário