Trabalhadores protestam contra reforma da previdência no Pará

Em Redenção, alunos e professores pediram melhorias no ensino público. Na capital do Pará, manifestação se encerrou em frente à Alepa.

Trabalhadores de várias categorias também protestaram nesta quarta-feira (15) em cidades das regiões sudeste, sul e sudoeste do Pará. A manifestação ocorre em várias cidades do país e luta contra a reforma na previdência.

Em Belém, os manifestantes se concentraram na Praça da República e saíram em caminhada que percorreu as principais ruas da capital, com paradas no prédio do INSS, na sede da Prefeitura Municipal de Belém, até a Assembleia Legislativa do Estado do Pará, já no fim da manhã. Segundo a organização do evento, no início da manifestação, cerca de 6 mil trabalhadores participam do ato. Já a Polícia Militar informou que 1.500 pessoas participaram do protesto.

Em Redenção, no sul do Pará, professores e estudantes fizeram manifestação pelas ruas em protesto à reforma da previdência e por melhorias nas escolas públicas e para a classe de professores. De acordo com os organizadores a manifestação reuniu cerca de 300 pessoas. A PM não divulgou estimativa de participantes.

Em Paragominas, no sudeste do Pará, segundo os organizadores, o protesto reuniu de cerca de 800 pessoas na praça Célio Miranda, no centro da cidade. Professores e servidores dos Correios participaram da manifestação que começou por por volta das oito em meia da manhã. A PM não divulgou estimativa de participantes.

Em Parauapebas, no sudeste do Pará, professores, estudantes e funcionários dos Correios também aderiram ao movimento nacional contra a reforma da previdência. Eles levaram cartazes pedindo melhorias na educação pública. Os manifestantes percorreram as principais ruas do centro da cidade. Segundo a organização, a passeata reuniu cerca de 500 pessoas. A PM não divulgou estimativa de participantes.

Em Altamira, no sudoeste do Pará, o protesto contra reforma da previdência foi organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará e pela Frente Popular do Brasil. Profissionais da área da educação de Brasil Novo também participam da mobilização. Segundo a organização, a manifestação contou com cerca de 400 pessoass, entre professores, estudantes e ativistas dos movimentos sociais.A PM não divulgou estimativa de participantes.

Em Marabá, no sudeste do Pará, os manifestantes também protestaram contra o atraso no pagamento dos salários de dezembro dos servidores municipais. Em nota, a Prefeitura informou que em 30 dias irá apresentar um cronograma de pagamento.

Fonte: G1

Deixe um comentário