Governo do Amazonas suspende retorno de imigrantes venezuelanos

O governo do Amazonas suspendeu o retorno ao país de origem de 88 imigrantes venezuelanos que estão em Manaus. A decisão atendeu a uma orientação do Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas. Segundo a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), o MPF no Amazonas argumentou que não há garantias de que o grupo cruzaria a fronteira entre o Brasil e a Venezuela, pois o destino final da viagem seria o município de Pacaraima, em Roraima.

A viagem estava prevista para este domingo (2) em dois ônibus alugados. Segundo a secretária de Justiça, Graça Prola, não há uma nova data para o retorno dos venezuelanos, e a situação será analisada agora pela Presidência da República. “Estamos no aguardo da proposta do governo brasileiro no sentido de ajudar não só o estado do Amazonas, mas o município de Manaus, para o trabalho com os venezuelanos e, consequentemente, o seu retorno para o local de origem”, disse Graça Prola.

A secretária informou que a medida não era a deportação e atendia ao desejo dos próprios imigrantes de retornar à terra natal. “Não estávamos propondo, nem realizando nenhuma deportação. Nós estávamos atendendo às manifestações de interesse de 88 pessoas que estavam querendo retornar em razão de já estarem aqui desde dezembro, de terem entrevistas marcadas em Boa Vista com relação ao pedido de refúgio e também outras que já queriam ir embora para sua terra.”

De acordo com a secretaria, atualmente, estão em Manaus cerca de 300 imigrantes venezuelanos, a maioria indígenas da etnia Warao. Eles vieram para o Brasil em busca de melhores condições de vida, por causa crise econômica e política nopaís vizinho.

Em nota, o Ministério Público Federal no Amazonas confirmou a recomendação ao governo do estado, feita em conjunto com a Casa Civil da Presidência da República, durante teleconferência na semana passada. Para os dois órgãos, “o impasse envolvendo a imigração dos indígenas é algo a ser tratado de forma conjuntural, já que não se trata apenas de um grupo isolado”.

O MPF no Amazonas informou ainda que a Casa Civil vai elaborar um plano de ação “para dar o atendimento necessário e correto à situação dos imigrantes”. O Ministério das Relações Exteriores também será acionado para que converse com o governo da Venezuela em busca de uma solução para o problema.

Por: Bianca Paiva
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Fábio Massalli

Deixe um comentário