Inpa capacita no Alto Solimões 170 produtores familiares em agricultura orgânica

As três oficinas de 16 horas, cada, fazem parte das atividades dos projetos “Implantação de Unidades Demonstrativas Agroflorestais na Amazônia (IUDAA)” e Feirão do Produtor Rural

Para contribuir com o fortalecimento da agricultura familiar e da economia das comunidades rurais, garantindo qualidade do meio ambiente, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/ MCTIC) trabalha na capacitação de produtores familiares do Alto Solimões. As atividades são realizadas em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal do Amazonas (Idam) dos municípios de Benjamin Constant, Atalaia do Norte e Tabatinga.

As Oficinas de Capacitação em Agricultura Orgânica para Produtores Familiares do Alto Solimões buscam difundir práticas agroecológicas que visam a recuperação e manutenção da fertilidade dos solos por meio de sistemas orgânicos de produção, a redução da ocorrência de pragas e doenças com o uso de defensivos naturais e o aumento da produtividade dos agroecossistemas de produtores familiares.

De acordo com a coordenadora do projeto, a pesquisadora Sônia Alfaia, as oficinas capacitação aconteceram de 11 a 18 de julho, capacitando 170 produtores. A primeira foi realizada em Benjamin Constant, nos dias 11 e 12 de julho, onde foram capacitados 74 produtores; a segunda em Atalaia do Norte, nos dias 14 e 15 de julho, com 42 produtores; e a terceira em Tabatinga, no período de 17 e 18 de julho, com 55 produtores capacitados.

As oficinas fazem parte das atividades do projeto “Implantação de Unidades Demonstrativas Agroflorestais na Amazônia (IUDAA)”, coordenado pela doutora Denise Gutierrez, e Feirão do Produtor Rural, coordenado pela engenheira agrônoma com doutorado em Ciência de solo, a pesquisadora do Inpa Sonia Alfaia. Os projetos contam com financiamento da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), sob a gestão da Fundação Amazônica de Defesa da Biosfera (FDB).

Segundo Alfaia, o projeto IUDAA é específico para a região do Alto Solimões. “Além da implantação de unidades demonstrativas, tem um forte componente de capacitação, onde se espera capacitar cerca de 500 produtores rurais em diversas tecnologias na área agroflorestal, ambiental e sistemas agroecológicos de produção”, contou.

O projeto Feirão do Produtor Rural que também tem um forte componente de capacitação é desenvolvido principalmente com produtores que comercializam sua produção no Feirão da Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror) e a agricultores dos municípios do entorno de Manaus. “Em um ano meio de execução, o projeto capacitou cerca de 800 produtores rurais”, revela a pesquisadora.

Os instrutores, Professor doutor Reinaldo Puentes, da Universidade José Martí Pérez de Sancti Spiritus de Cuba, o mestre José Guedes (ambos bolsistas de PCI do Inpa) e a pesquisadora do Inpa Sonia Alfaia, nas 16 horas de duração de cada oficina, abordaram temas relacionados à agroecologia, manejo e fertilidade dos solos, produção de adubos orgânicos por meio da compostagem e biofertilizantes, produção e uso de defensivos naturais, e manejo do bananal, com ênfase na produção de mudas saudáveis a partir do rizoma.

Multiplicação e acompanhamento

Para o produtor Sebastião da Silva Lima, Presidente da comunidade Guanabara 1, município de Benjamin Constant, o curso foi muito importante para os agricultores. “Ele veio somar e melhorar os nossos conhecimentos sobre o manejo do bananal, principal cultivo de nossa comunidade”, contou Lima, que pretende junto com os outros produtores da comunidade repassar o conhecimento adquirido.

Na opinião do gerente da unidade local do Idam de Tabatinga, Zoroastro Brandão, os técnicos do Instituto dos três municípios também participaram das oficinas, dessa forma podem passar as práticas agrícolas implantadas para os agricultores que não participaram do curso.

Brandão e os produtores que participaram da oficina devem acompanhar e monitorar mensalmente, a pilha de compostagem, o biofertilizante e o canteiro produção de mudas de bananas montados durante o curso, além de incentivar os produtores a colocar em prática o que foi repassado na oficina.

Para o prefeito de Atalaia do Norte Nonato Tenazor, que esteve presente na oficina realizada naquele município, o trabalho que o Inpa desenvolve é muito importante. “Com isso, é possível que os produtores das comunidades longínquas da Amazônia tenham acesso aos conhecimentos gerados pelo Inpa, melhorando a produtividade de seus cultivos”, disse.

Para Sônia Alfaia, a parceria com Idam dos municípios de Tabatinga, Benjamin Constant e Atalaia do Norte, foi fundamental para o sucesso das oficinas. “Os técnicos das Unidades locais do Idam deram todo o apoio logístico necessário para a realização das atividades, desde a mobilização dos produtores, organização dos auditórios, das áreas para implantação das unidades demonstrativas, assim como, o transporte e alimentação dos produtores”, destacou.

* Com informações dos instrutores dos projetos

Fonte: Inpa

Deixe um comentário