Grupo faz ato no Centro de Rio Branco contra o assassinato da vereadora Marielle Franco

Com cartazes e gritos de ‘Marielle, presente!’, manifestantes protestaram nesta quinta-feira (15).

Um grupo de mulheres, representantes de partidos e da sociedade em geral, fez um ato no Senadinho, no Centro de Rio Branco, contra o assassinato da vereadora Marielle Franco. Com cartazes e velas nas mãos, os manifestantes se reuniram por volta das 17h para cobrar respostas a respeito do crime.

A vereadora Marielle Franco foi morta a tiros, na noite de quarta-feira (14), no bairro do Estácio, na Região Central do Rio. Além da vereadora, o motorista do veículo, Anderson Pedro Gomes, foi atingido por pelo menos 3 tiros na lateral das costas e morreu.

Uma outra passageira, assessora de Marielle, foi atingida por estilhaços. A principal linha de investigação da Delegacia de Homicídios é execução.

Grupo fez manifestação contra assassinato de Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro (Foto: Iryá Rodrigues/G1)
Grupo fez manifestação contra assassinato de Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro (Foto: Iryá Rodrigues/G1)

No momento do crime, a vereadora estava no banco de trás do carro, no lado do carona. Como o veículo tem filme escuro nos vidros, a polícia trabalha com a hipótese de os criminosos terem acompanhado o grupo por algum tempo, tendo conhecimento da posição exata das pessoas.

Sob gritos de “Marielle, presente!”, os manifestantes pediram Justiça e paz, principalmente para as mulheres. Segundo organizadores do ato, cerca de 50 pessoas participam do manifesto. A Polícia Militar não esteve presente no local.

Uma das representantes do Coletivo 8 de março das Mulheres Negras no Acre, Maria Santiago, falou que a manifestação segue uma mobilização nacional.

“Estamos vivendo situações muito difíceis no nosso país. É uma questão que trata do feminicídio, mas também trata do momento político que a gente está vivendo. A Marielle era uma voz que ecoava nos espaços de poderes em nome da juventude, das mulheres e das pessoas moradoras de favela. A esquerda brasileira hoje está de luto, porque perdeu uma grande referência no nosso país, independente de partido político”, disse Maria

Fonte: G1

Deixe um comentário