Justiça prorroga prisão de prefeito de Humaitá, suspeito de envolvimento em ataques a prédios públicos

Sede do Ibama em Humaitá foi incendiada por grupo (Foto: Raolin Magalhães/Rede Amazônica)

O prefeito de Humaitá, Herivaneo Vieira de Oliveira, teve a prisão temporária prorrogada por mais cinco dias pela Justiça. A decisão também se estende a três garimpeiros. O grupo é suspeito de envolvimento em ataques a prédios públicos na cidade.

Nesta quarta-feira (28), o vice-prefeito de Humaitá, Rademacker Chaves, foi solto depois de prestar depoimento.

O prefeito e os garimpeiros seguem presos no presídio Pandinha, em Porto Velho (RO). A prorrogação da prisão temporária de Herivaneo foi decidida pela Justiça Federal, enquanto a dos garimpeiros foi pela Justiça Estadual.

A Rede Amazônica não conseguiu contato com as defesas dos acusados.

Entenda

Políticos e garimpeiros são suspeitos de cometer ataques e atentados a imóveis e veículos do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em outubro de 2017. Ao todo, dez pessoas foram presas durante a operação.

Fonte: G1

Deixe um comentário