Planos de governo evidenciam visões opostas sobre questão agrária

De 9 candidatos, 5 propõe ações para proteção ambiental; Bolsonaro e Álvaro Dias têm medidas contra defesa das florestas; reforma agrária só é citada por Haddad e Boulos

A análise dos planos de governo apresentados pelos presidenciáveis mostra diferentes abordagens para tratar a questão agrária. Um exemplo é a política de reforma agrária. Enquanto Fernando Haddad e Guilherme Boulos apresentam metas específicas para a população camponesa, Bolsonaro diz que a “propriedade privada é sagrada” e não pode ser “invadida, roubada ou expropriada”, esquecendo da emenda constitucional que garante expropriação de terras com incidência de trabalho escravo ou de propriedade do narcotráfico.

O líder nas pesquisas é, de longe, o candidato com mais propostas implosivas em relação a direitos socioambientais. Prometendo uma parceria com os Estados Unidos para exploração da Amazônia e o licenciamento de hidrelétricas em menos de três meses, o candidato do PSL se destaca pela agressividade contra os povos do campo: “Nem um centímetro a mais para índios e quilombolas”.

A preservação do meio ambiente é outro ponto que opõe os candidatos. As promessas vão da ocupação integral do território amazônico, mencionada por Álvaro Dias, ao fim dos subsídios à valorização da biodiversidade e proteção ao patrimônio natural indicada por Henrique Meirelles, em contraponto à política do governo Temer, do qual fez parte.

Em relação ao fomento à produção agropecuária, Geraldo Alckmin propõe foco nas regiões Norte e Nordeste, enquanto Ciro Gomes apoia o fortalecimento da indústria nacional, incluindo o incentivo à produção nacional de agrotóxicos.

O volume de propostas também é contrastante. Enquanto João Amoêdo dá estaque apenas à preservação ambiental, declarando o fim dos subsídios às fontes de energia não-renováveis, Marina Silva detalha planos que vão de políticas de incentivo ao vegetarianismo e bem-estar animal ao fomento às atividades econômicas de povos tradicionais.

Fonte: De Olho nos Ruralistas
Deixe um comentário