Três cidades do AC ficam sem médicos na atenção básica com saída de cubanos de programa

Outros cinco municípios acreanos vão contar apenas com um médico na atenção básica, segundo dado da Saúde. Ao todo, Acre perde 104 médicos com saída de cubanos do programa.

Três cidades do Acre vão ficar sem médicos na atenção básica com saída de cubanos do ‘Mais Médicos’ — Foto: Marcilene Alexandrina/ Secretaria de Saúde
Três cidades do Acre vão ficar sem médicos na atenção básica com saída de cubanos do ‘Mais Médicos’ — Foto: Marcilene Alexandrina/ Secretaria de Saúde

Com a saída dos cubanos do programa Mais Médicos, três municípios acreanos vão ficar sem nenhum médico na atenção básica de saúde. Os dados foram repassados, nesta terça-feira (20), pela Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre).

Na última quarta (14), o governo de Cuba anunciou a decisão de deixar o Mais Médicos, citando “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro à presença dos médicos cubanos no Brasil.

Ao todo, o Acre deve perder 104 profissionais que atuam em 20 municípios acreanos e dois distritos indígenas. Segundo a Saúde, o efetivo representa 63% dos médicos atuando pelo programa no estado.

Conforme os dados, as cidades de Feijó, Manoel Urbano e Porto Walter, vão ficar sem nenhuma equipe da atenção básica com a saída dos profissionais cubanos. Em Feijó estão sete médicos cubanos, em Manoel Urbano quatro e em Porto Walter também quatro.

Outros cinco municípios acreanos devem contar apenas com um médico na atenção básica com a saída dos cubanos do programa. Entre eles estão Xapuri, Santa Rosa do Purus, Marechal Deodoro, Mâncio Lima e Assis Brasil.

Cubanos pararam atividades no Acre

A referência descentralizada do Ministério da Saúde para o Programa Mais Médicos no Acre, Leila Maria, informou que os médicos cubanos pararam as atividades a partir desta terça-feira (20) e o primeiro voo para deixarem o estado está marcado para o dia 23 de novembro.

“Em muitos dos municípios, 100% dos médicos que atuam na atenção básica, são médicos do Mais Médicos. Alguns, inclusive, somente cubanos. Então, nesses casos, na saída dos médicos cooperados [cubanos] todas as equipes ficam sem profissional”, disse Leila.

Concurso

O Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União desta terça-feira (20) o edital com cerca de 8,5 mil vagas para o programa Mais Médicos. As vagas, abertas para substituir médicos cubanos, são para profissionais brasileiros e estrangeiros que tenham registro no CRM do Brasil.

Fonte: G1 AC

Deixe um comentário