Bolsonaro diz que diretor do INPE pode estar “a serviço de alguma ONG”

Bolsonaro durante café da manhã com Jornalistas. Foto: Marcos Corrêa/PR.

Após o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, afirmou que o dado do Inpe é “manipulado” e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, dizer que há problemas técnicos nos dados, chegou a vez do presidente da República, Jair Bolsonaro, dizer que não acredita no aumento do desmatamento e que suspeita que o diretor do INPE, órgão responsável pelo monitoramento da Amazônia desde 1988, possa estar “a serviço de alguma ONG”.

A declaração foi feita nesta sexta-feira (19), em café da manhã com jornalistas estrangeiros. Irritado com a pergunta sobre os rumos da política ambiental de seu governo, Bolsonaro disse que a “Amazônia é do Brasil, não é de vocês” e que “nenhum país do mundo tem moral pra falar da Amazônia”. Apesar do Brasil deter a maior parte da Amazônia, o país compartilha a floresta com mais 8 países.

“Isso que acontece de muitas divulgações, por exemplo, como a de ontem, do Inpe, é uma cópia de anos anteriores. Até mandei ver quem é o cara que está na frente do Inpe. Ele vai ter que vir se explicar aqui em Brasília esses dados aí que passaram pra imprensa do mundo todo, que pelo nosso sentimento não condiz com a verdade. Até parece que ele está à serviço de alguma ONG, que é muito comum”, disse Bolsonaro.

O INPE é vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e presidido pelo engenheiro e físico Ricardo Magnus Osório Galvão, que comanda o órgão desde setembro de 2016. Os dados do desmatamento são públicos.

“Nós entendemos a importância da Amazônia para o mundo, mas a Amazônia é nossa. Não vai ter mais aquele tipo de política que era feita no passado”, disse Bolsonaro, antes de voltar a falar que quer reintegrar o índio a civilização.

Por: Daniele Bragança
Fonte:
O Eco

Deixe um comentário