Incêndios florestais preocupam presidente da Assembleia Geral da ONU

A presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas, María Fernanda Espinosa, manifestou na quarta-feira (21) preocupação com os incêndios florestais que ocorrem em países dos hemisférios Norte e Sul do planeta.

Em mensagem publicada no Twitter, Espinosa enfatizou que as florestas são cruciais para enfrentar as mudanças climáticas, promover a conservação da biodiversidade e a segurança alimentar.

Incêndios florestais ocorrem nos hemisférios Norte e Sul. Foto: Peter Buschmann for Forest Service, USDA
Incêndios florestais ocorrem nos hemisférios Norte e Sul. Foto: Peter Buschmann for Forest Service, USDA

A presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas, María Fernanda Espinosa, manifestou na quarta-feira (21) preocupação com os incêndios florestais que ocorrem em países dos hemisférios Norte e Sul do planeta.

Em mensagem publicada no Twitter, Espinosa enfatizou que as florestas são cruciais para enfrentar as mudanças climáticas, promover a conservação da biodiversidade e a segurança alimentar.

Segundo agências internacionais de notícias, focos de incêndio estão ocorrendo na floresta amazônica brasileira. De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o número de queimadas no Brasil aumentou 83% entre janeiro e agosto deste ano na comparação com o mesmo período de 2018.

As chamas tiveram início há duas semanas no estado de Rondônia e estariam se expandindo para a fronteira com os vizinhos Paraguai, Peru e Bolívia, de acordo com os relatos das agências.

Na Sibéria, mais de 33 mil quilômetros quadrados de floresta pegaram fogo este mês, o que coloca a Rússia no caminho do pior ano com o registro deste tipo de incêndio.

De acordo com os relatos, a fumaça causada pelas chamas cobriu vastas áreas do território russo, incluindo cidades como Novosibirsk, e também cruzou o Oceano Pacífico para os Estados Unidos.

Em território americano, o fim de semana teve incêndios no Alasca, marcando uma temporada de fogo considerada “excepcionalmente longa” para o estado. Na Califórnia, que sofreu a temporada de incêndios florestais com maior destruição em 2018, há indicações da possível ocorrência de um grande incêndio.

Na semana passada, a Dinamarca enviou bombeiros para a Groenlândia para combater um incêndio que se está aproximando de áreas habitadas.

Na segunda-feira (19), um incêndio florestal nas Ilhas Canárias obrigou mais de 8 mil pessoas a fugir.

Para María Fernanda Espinosa, o mundo deve fazer mais para proteger suas florestas e tomar ações climáticas urgentes.

Fonte: Nações Unidas

Deixe um comentário