Exército prende 15 garimpeiros em barcos carregados de material para garimpo na Terra Yanomami

Garimpeiros tentaram passar por posto de fiscalização do Exército no rio Mucajaí quando houve perseguição. Um garimpeiro se feriu e um barco fugiu.

A Terra Indígena Yanomami fica localizada nos estados de Roraima e Amazonas; imagem mostra índios que posicionaram contra o garimpo ilegal na região — Foto: Victor Moryama/ISA/Divulgação
A Terra Indígena Yanomami fica localizada nos estados de Roraima e Amazonas; imagem mostra índios que posicionaram contra o garimpo ilegal na região — Foto: Victor Moryama/ISA/Divulgação

O Exército prendeu 15 garimpeiros que tentavam entrar na Terra Indígena Yanomami com materiais de garimpo ilegal. A ação foi rio Mucajaí, no Sul de Roraima, na madrugada desta quinta-feira (9). O grupo estava em seis barcos, que foram apreendidos. Um dos garimpeiros se feriu.

O comboio de garimpeiros tinha sete embarcações e tentou passar pelo Posto de Verificação do Exército sem se identificar e mostrar o material que transportava.

Militares do Exército em duas embarcações perseguiram o grupo e apreenderam seis barcos, o outro conseguiu escapar. Um garimpeiro, que não portava documentos, se feriu em uma das pernas durante a ação.

Conforme a assessoria da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, ele foi atendido pela equipe de saúde do Exército que acompanha as atividades da tropa na região. As circunstâncias de como ele se feriu ainda não foram esclarecidas.

As seis embarcações apreendidas estavam com “grande quantidade de material destinado ao garimpo”, informou o Exercito.

Os garimpeiros serão levados à Polícia Federal em Boa Vista. O material encontrado vai ser inventariado para se saber a quantidade e ser destinado aos órgãos competentes para providências.

Com quase 10 milhões de hectares, a Terra Yanomami é a maior terra indígena do Brasil, e tem atualmente cerca de 27 mil índios.

Por: Valéria Oliveira
Fonte:
G1

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.