Amazonas tem a 1ª morte causada pelo coronavírus na região Norte

(Foto: Bruno Kelly/Amazônia Real)

Um homem de 49 anos, morador da cidade de Parintins, apresentou os sintomas da Covid-19 no dia 20 de março. A pessoa que o acompanhou no hospital também contraiu a doença

Por causa da pandemia, o Ministério Público do Amazonas recomentou toque de recolher em Parintins. Em Manaus, as pessoas andam nas ruas com máscaras cirúrgica

Um empresário dos ramos de ótica e pesca esportiva morreu na noite desta terça-feira (24) com o diagnóstico da Covid-19, no Hospital e Pronto Socorro (HPS) Delphina Aziz, na zona norte de Manaus. É a primeira morte causada pelo novo coronavírus do Amazonas e da região Norte do Brasil.

Geraldo Sávio, de 49 anos, era morador de Parintins, município distante 369 quilômetros da capital amazonense. No dia 21 de março, ele foi transferido da cidade em uma UTI aérea com quadro de insuficiência respiratória com grave comprometimento pulmonar. Uma pessoa, que o acompanhava no hospital, também foi infectada pela doença e está em isolamento domiciliar, em Manaus

Sávio era portador de hipertensão arterial sistêmica e, no domingo (22) ele sofreu uma parada cardiorrespiratória, mas foi estabilizado. “Nesta terça-feira, o paciente apresentou parada cardio-pulmonar, instabilidade hemodinâmica e nova parada cardiorrespiratória. A equipe procedeu manobras de ressuscitação, contudo o paciente não resistiu veio óbito no início da noite”, informou em nota a Secretaria de Estado da Saúde (Susam) e Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

Segundo o Ministério da Saúde, nesta terça-feira foram confirmadas 46 mortes por coronavírus no país. Os casos se concentram na região Sudeste, sendo 40 em São Paulo, seis no Rio de Janeiro.

O número total de casos confirmados é de 2.201 notificações no país. De acordo com o boletim desta terça-feira da FVS, há 47 casos confirmados de Covid-19 no Amazonas.

A informação sobre a morte do empresário Geraldo Sávio por coronavírus no Amazonas foi divulgada pelo governo do estado logo após o pronunciamento em rede nacional, de televisão e rádio, do presidente Jair Bolsonaro nesta noite. Sua fala causou mais uma vez polêmica ao pedir a reabertura do comércio e das escolas e o fim do “confinamento em massa” da população. Bolsonaro também voltou a criticar a imprensa e chamou novamente o coronavírus de “gripezinha”, contrariando as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), que decretou a pandemia da doença, que já matou mais de 17 mil pessoas no mundo.

Pescador de tucunaré

Geraldo foi contaminado por Covid-19 em um encontro de pesca, em Manaus (Foto: reprodução Facebook)

Nascido em Oriximiná, no Pará, Geraldo Sávio era presidente da Associação da Pesca Esportiva de Parintins (Apepin) era um apoiador do turismo ecológico e da causa ambiental. Uma de suas preocupações era a conscientização de ribeirinhos para a preservação do peixe tucunaré, que sofre impactos da sobrepesca na região do Amazonas, como descreveu, em janeiro, numa entrevista ao jornalista Gabriel Ferreira, de A Crítica. Solteiro, Geraldo Sávio deixou uma filha adulta. Devido à gravidade do coronavírus o sepultamento será em Manaus.

O prefeito de Parintins, Bi Garcia (PSDB), disse à Amazônia Real que conhecia Geraldo Sávio e contou como contraiu a doença Covid-19 no início do mês de março. “Ele [Geraldo] disse que esteve em Manaus para um encontro de pesca esportiva, da qual ele era praticamente. Em seguida foi pescar em Nhamundá e depois veio para Parintins. Depois ele se sentiu mal, buscou atendimento no dia 21 de março no Hospital Jofre Cohen, onde já ficou internado e em isolamento”, disse o prefeito, destacando que a saúde do empresário se agravou e no dia seguinte ele foi transferido para Manaus.

“Com o agravamento do quadro de saúde e intensificação dos sintomas da doença, ele foi transferido para Manaus, em UTI aérea, para receber tratamento no hospital de referência no estado, o Delphina Aziz”, disse o prefeito.

O secretário municipal de saúde de Parintins, Clerton Rodrigues Florêncio, informou que existem 63 pessoas sendo monitoradas por suspeita de coronavírus no município. “Essas pessoas tiveram contato com Geraldo e com outras pessoas de Manaus, além dos estados de São Paulo e Distrito Federal”, explicou.

Florêncio disse que ainda é importante reforçar medidas para que a população entenda, sobretudo, a importância do distanciamento social. “Que é um ponto importantíssimo para quebrar a cadeia de transmissão. Queremos despertar aqueles que ainda não entenderam a gravidade da situação para que possam colaborar com isso”, acrescentou.

Com relação ao combate a disseminação da Covid-19 em Parintins, o prefeito Bi Garcia disse que contratou 177 profissionais de saúde, entre técnicos de enfermagem e enfermeiros, para reforçar o atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e no hospital. O município tem uma população de 114.273 habitantes, segundo o IBGE.

O prefeito disse, ainda, que haverá a distribuição de 3 mil cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade social que estão em quarentena e que dependem do trabalho diário para prover o seu sustento. “Estamos trabalhando há mais de 20 dias na prevenção vírus e porto, aeroporto e na orla da cidade”, disse. “O Hospital Jofre Cohen está preparado para receber pessoas com sintomas da covid-19, onde serão observados, isolados e de onde serão encaminhados a Manaus, caso seja necessário”, afirmou Bi Garcia.

Toque de recolher em Parintins

Porto de Parintins, no Amazonas (Foto: Gustavo Pereira Araújo)

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por meio das promotorias de Parintins, recomendou à Prefeitura que determine o toque de recolher na cidade no horário das 20h a 06h, a partir desta quarta-feira, dia 25 de março, pelo prazo de 15 dias. A recomendação, assinada pelas promotoras de Justiça Marina Maciel e Eliana Amaral, prevê multa no valor de R$ 300 àqueles que descumprirem a medida, além de multa em dobro para os reincidentes.

“O toque de recolher não se aplica àqueles que desempenham atividades essenciais, tais como os profissionais da saúde e os profissionais que trabalham em estabelecimentos que se destinem ao abastecimento alimentar e farmacológico da população, bem como àqueles que demonstrarem, comprovadamente, a necessidade de se ausentarem de suas residências por razões emergenciais, tais como, aquisição de fármacos e atendimento médico”, informa o texto do MPAM.

Saiba quais são os sintomas do coronavírus

Padres franciscanos caminham, com máscaras cirúrgicas, no centro de Manaus (Foto: Bruno Kelly/Amazônia Real)

Segundo informações do Ministério da Saúde, o número de mortes em decorrência da Covid-19 no país é de 46 até o momento, sendo 40 em São Paulo e seis no Rio de Janeiro. O número total de casos confirmados é de 2.201 no país. (Veja mais informações dos estados no final deste texto).

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a contaminação pelo Covid-19 se espalha de maneira semelhante à gripe, pelo ar após a tosse, coriza e a liberação de gotículas de quem está infectado. Os sintomas são: febre, tosse, coriza e dificuldade para respirar. Procurar uma unidade de saúde é a primeira atitude a tomar neste caso.

O quadro da pessoa infectada com o coronavírus pode se agravar para uma pneumonia, o que exige a internação do paciente.

Pessoas com mais de 50 anos de idade estão mais vulneráveis, principalmente os idosos.

Quem está com o sistema imunológico debilitado e possui doenças crônicas, como as cardiovasculares, diabetes ou infecções pulmonares também pode adoecer gravemente.

Medidas como fazer uma quarentena voluntária em casa tem sido a melhor forma de combater a disseminação da doença no mundo. Leia a cartilha dos povos do Xingu.

O Relógio no final da tarde, ponto turístico de Manaus quase vazio por causa do coronavírus (Foto: Bruno Kelly/Amazônia Real)

Casos da Covid-19 no Brasil

Segundo informações do Ministério da Saúde, o local de maior circulação do novo coronavírus é em São Paulo, que também lidera o número de pessoas infectadas, com 810 casos confirmados. Em seguida vêm Rio de Janeiro (305), Ceará (182), Distrito Federal (160), Minas Gerais (130) e Santa Catarina (107).

Também registram casos confirmados Rio Grande do Sul (98), Bahia (76), Paraná (65), Pernambuco (42), Espírito Santo (33), Goiás (27), Mato Grosso do Sul (23), Acre (17), Sergipe (15), Rio Grande do Norte (13), Alagoas (9), Maranhão (9), Tocantins (7), Mato Grosso (7), Piauí (6), Pará (5), Rondônia (3), Paraíba (3), Roraima (2) e Amapá (1).

Por: Izabel Santos
Fonte: Amazônia Real

Deixe um comentário