Extrativistas da Terra do Meio fornecem apoio e alimentos para enfrentamento da Covid-19

Para garantir a segurança alimentar e o isolamento social, 700 kits de mercadorias foram distribuídos para famílias em situação de vulnerabilidade social em Altamira e ribeirinhos da Terra do Meio (PA)

Nesta semana, 700 kits de mercadorias foram distribuídos para famílias em situação de extrema vulnerabilidade na cidade de Altamira e para ribeirinhos que vivem nas Reservas Extrativistas (Resex) da Terra do Meio, no Pará. Com oito casos de Covid 19 confirmados no município, a iniciativa busca garantir a segurança alimentar e o isolamento social da população.

Na composição dos kits, cinco produtos se destacam: castanha, mistura de bolo com farinha de babaçu e cacau, farinha de mandioca, farinha de tapioca e óleo de babaçu produzidos pelos ribeirinhos, indígenas e pequenos agricultores que fazem parte da Rede de Cantinas da Terra do Meio, articulação que promove a produção e comercialização de produtos dos povos da floresta.

Castanha, óleo e farinha de babaçu e mistura para bolo|Lilo Clareto-ISA

Abóbora, banana, macaxeira, farinha de mandioca e goma de mandioca, produzidas pelos extrativistas e pequenos produtores familiares da região também fizeram parte dos kits. Ao todo foram comprados mais de 4 mil quilos de produtos.

Foram adquiridos 583 litros do óleo de babaçu, 547 kg da farinha de babaçu e 400 kg de castanha in natura, em uma articulação entre a Rede de Cantinas, as associações dos ribeirinhos da Terra do Meio e o ISA. “Esses produtos vêm da floresta para alimentar as pessoas da cidade. São produzidos por populações tradicionais e têm um alto valor nutritivo. Além de todos esses benefícios, a venda gera renda para as pessoas nas comunidades, no momento em que elas mais precisam de garantias sustentáveis para permanecerem em suas casas”, explica Fabíola Silva, coordenadora adjunta do ISA na Terra do Meio.

Kits de mercadorias foram entregues a famílias em vulnerabilidade social em Altamira|Lilo Clareto-ISA

A montagem e distribuição dos kits partiu de duas ações: uma articulada a partir de campanha dos movimentos sociais e organizações do terceiro setor para atender as famílias vulneráveis em Altamira e outra por iniciativa do ISA e das associações de ribeirinhos da Terra do Meio.

Nas duas campanhas, produtos, embalagens, barcos e carros foram limpos de acordo com as recomendações de higienização para assegurar a saúde das famílias beneficiadas e voluntários.

Kits e veículos de transporte foram limpos de acordo com as recomendações de higienização|Lilo Clareto

Ficar no beiradão é o melhor remédio Na última terça (21), três embarcações saíram de Altamira em direção as Resex da Terra do Meio com 500 kits contendo alimentos, produtos de higiene, instrumentos de pesca e materiais informativos sobre a Covid 19. Em uma viagem de cinco dias, os barcos vão percorrer até 400 quilômetros para entregar os materiais em 26 localidades ao longo dos rios Xingu, Iriri e Riozinho do Anfrísio, em aldeias do povo Arara da Terra Indígena Cachoeira Seca e para pequenos agricultores em Uruará.

As associações de ribeirinhos da Terra do Meio com apoio do ISA organizaram a compra de itens de alimentação, limpeza e pesca, com o objetivo de garantir condições para que aproximadamente 500 famílias que vivem nas Resex e aldeias possam permanecer em suas comunidades.

“O objetivo é garantir que as famílias fiquem ali e evitar que venham à cidade durante a pandemia, o que deve reduzir os riscos de contaminação pelo novo coronavírus”, pontua Naldo Lima, assessor das associações.

Marines Lopes, da Resex Rio Xingu|Lilo Clareto-ISA

Parte dos produtos foi adquirido em parceria com a Rede de Cantinas. O recurso vai garantir a sustentabilidade da produção e comercialização de produtos da floresta e itens de necessidade básica nas Resex.

“O beiradão é o lugar mais seguro para ficar com saúde até a doença passar”, diz o texto do informativo que também compõe o kit. Com uma série de recomendações, a publicação alerta para os risco do novo coronavírus e reitera que o isolamento social é o mais importante para combater a disseminação da doença. [Acesse a cartilha completa]

A primeira ação de prevenção aconteceu no final de março, quando 150 ribeirinhos que estavam na cidade retornaram para suas casas em articulação entre associações, ISA e Secretaria de Saúde do município. “A preocupação nas Resex com relação ao coronavírus abalou todo mundo. Nos preocupamos em ajudar todos que estavam na cidade para voltar para as suas comunidades nas Resex. É muito importante levarmos as pessoas para lá, desse jeito ficamos protegidos deste vírus maldito que está repercutindo no país inteiro”, pontuou Francisco de Assis Porto de Oliveira, o Seu Assis, presidente da Associação dos Moradores da Reserva Extrativista Rio Iriri (Amoreri). [Saiba mais]

Campanha pelos povos de Altamira “Ajude-nos a não morrer”. Com esse apelo, o Movimento Xingu Vivo, o Coletivo de Mulheres Negras Maria Maria, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), a Universidade Federal do Pará (UFPA), o ISA, dentre outras organizações e parceiros, estruturaram uma campanha para garantir a saúde e segurança alimentar dos povos que vivem no maior município do Brasil. Em pouco mais de um mês a meta de R$ 40 mil reais foi superada e 235 cestas básicas e materiais de higiene foram entregues para famílias que vivem na cidade na primeira etapa da campanha.

Produtos da floresta e da agricultura familiar no kit|Lilo Clareto

Em três dias, os materiais foram distribuídos por voluntários nos bairros mais afastados de Altamira e em regiões acima do reservatório da usina hidrelétrica de Belo Monte, onde famílias chegaram a perder casas e roças por conta das fortes chuvas.

“A ideia surgiu no contexto da pandemia, da importância de manter o isolamento social e de pensar nas famílias mais vulneráveis nesse momento. São organizações que há anos atuam na defesa e promoção dos direitos humanos e ambientais que se unificaram em torno desse sonho solidário para ajudar as famílias carente que precisam garantir sua segurança alimentar durante a quarentena”, explica Daniela Silva, do Movimento Xingu Vivo

Com quase R$ 60 mil arrecadados, a campanha teve apoio de artistas como Sérgio Marone, Bela Gil, Zélia Duncan e a cantora Fabiana Cozza. A mobilização continua para que mais famílias possam receber o apoio e a campanha segue recebendo doações. [Acesse a campanha]

Kits de mercadorias foram entregues a famílias em vulnerabilidade social em Altamira|Lilo Clareto-ISA

Por: Isabel Harari
Fonte: ISA

Deixe um comentário