Funai planeja atingir 500 mil cestas básicas entregues para indígenas

Meta foi divulgada em reunião de balanço de medidas de proteção

Realizada na tarde de hoje (9) no Palácio do Planalto, a reunião de balanço das ações de proteção e prevenção de povos e comunidades tradicionais apresentou os números referentes aos projetos que estão em andamento para preservar ao máximo as vidas da população indígena durante a pandemia do novo coronavírus.

Fruto da parceria entre 15 órgãos da administração federal, o plano apresenta um conjunto de medidas para garantir o isolamento social de comunidades tradicionais em situação de vulnerabilidade em todo o território nacional. Segundo Tatiana Alvarenga, secretária executiva do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, as ações são baseadas em 3 eixos: saúde, proteção social e proteção econômica.

“Em nosso sistema, há 1 milhão de indígenas cadastrados. Destes, 750 mil são aldeados. Esses planos foram feitos desde o início da pandemia. O que fazemos agora é a adaptação. Os órgãos do governo federal estão trabalhando com a agenda de não deixar ninguém para trás. Já foram investidos R$ 4,7 bilhões nessas iniciativas. Nunca se teve um investimento tão robusto para essa população”, afirmou.

Além dos povos naturais do Brasil, o plano de ação também distribuiu equipamentos de proteção individual (EPIs) e alimentos para indígenas refugiados provenientes da Venezuela. A secretaria executiva afirmou que há um compromisso e um entendimento geral, dentro do governo, da fragilidade e precariedade da situação dos povos indígenas. “Há um grande esforço de uma rede do bem. Portanto, cabe falar que são falsas as acusações de que o governo federal tem deixado a população indígena desamparada neste momento tão delicado”, disse.

Cestas básicas

De acordo com o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Xavier, a segurança alimentar dos povos indígenas é um dos pontos fundamentais das ações de proteção durante a pandemia. “Ao garantir a segurança alimentar nas aldeias, contribuímos para que os indígenas evitem deslocamentos, reduzindo as chances de contágio pelo novo coronavírus”, afirmou durante a coletiva.

Segundo os dados divulgados por Xavier, a parceria entre Funai, Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) já conseguiu distribuir 420 mil cestas básicas para povos tradicionais em todas as regiões do Brasil. “Investimos R$ 20,7 milhões em ações de combate desde o início da pandemia. Usamos recursos próprios e doações de parceiros públicos e privados”, informou. A meta, segundo o presidente, é atingir meio milhão de cestas nos próximos meses.

Medidas sanitárias

A Funai afirmou ainda que kits de higiene pessoal e limpeza fazem parte dos pacotes entregues às populações indígenas aldeadas. De acordo com Marcelo Xavier, cerca de 43 mil kits de higiene básica com máscaras descartáveis, toucas e luvas foram entregues. O programa Pátria Voluntária também contribuirá com cerca de 200 mil sabonetes – 10% já entregues – para povos vulneráveis.

Verde Brasil 2

Marcelo Xavier citou também as ações do programa Verde Brasil 2, que combate crimes ambientais na região amazônica, que abriga 62% da população indígena brasileira. Segundo os dados, a Funai já participou de 136 ações de fiscalização em terras indígenas para coibir práticas que podem estar relacionadas à transmissão de covid-19 para povos indígenas, como extração de madeira, mineração irregular e pesca predatória.

Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Bruna Saniele

Deixe um comentário