A chance de acabar com o desmatamento

A bordo do navio Rainbow Warrior, Greenpeace dá a partida para coletar 1,4 milhão de assinaturas em lei de iniciativa popular para zerar o desmatamento no Brasil

Coletiva de imprensa a bordo do novo Rainbow Warrior, em Manaus, para anunciar o início da campanha do Greenpeace pela lei do Desmatamento Zero. (©Greenpeace/Rodrigo Baleia)

O Brasil tem tudo para mostrar ao mundo com quantos paus – ou árvores – se constrói uma nação do futuro, que garanta a prosperidade de seu povo sem recorrer à destruição do meio ambiente. Mas, para alcançar esse novo patamar de desenvolvimento, ele precisa acabar com o desmatamento.

Na Amazônia, nos últimos três anos, a floresta encolheu, a golpes de motosserra, cerca de 20 mil quilômetros quadrados. Apesar disso, em Brasília, insensíveis à necessidade de se construir esse novo futuro, governo e Congresso trabalham para deixar nossas matas ainda mais vulneráveis. Por essa razão, no ano em que completa duas décadas de atividade no Brasil, o Greenpeace convida os brasileiros a embarcarem numa jornada para proteger de vez as suas florestas.

Assine a petição: www.ligadasflorestas.org.br

Em evento a bordo do navio Rainbow Warrior, em Manaus, a organização lançou projeto para, com outras instituições sociais e ambientais, coletar 1,4 milhão de assinaturas. O objetivo é levar ao Congresso uma proposta de lei de iniciativa popular, nos moldes da Ficha Limpa, para colocar a taxa de desmatamento no Brasil no único nível em que pode ser considerada aceitável: o zero.

“O Brasil devasta muita floresta há muito tempo, sempre em nome do desenvolvimento. Esse modelo, que não fazia sentido no passado, faz menos ainda no presente”, diz Marcelo Furtado, diretor-executivo do Greenpeace no Brasil. “As florestas são parte da identidade do brasileiro. E garantir a sua sobrevivência é garantir nosso bem-estar futuro. Zerar o desmatamento é a forma mais barata e rápida de o Brasil contribuir para a mitigação do aquecimento global.”

São nossas matas que regulam os ciclos climáticos, e garantem as chuvas que irrigam e mantêm o vigor da nossa agricultura. Elas ainda ajudam a gerar nossa energia e a suprir de água quase 200 milhões de brasileiros. E é, do mesmo modo, graças a elas e à sua biodiversidade, que podemos viver num país que é lindo por natureza. Sem elas, o Brasil deixaria de ser o Brasil que a gente ama e conhece.

“Infelizmente, no debate do Código Florestal, os políticos ignoraram os alertas dos cientistas e os anseios da população. Escreveram um texto que vai contra a preservação florestal”, diz Paulo Adario, diretor da campanha Amazônia do Greenpeace. “A lei do Desmatamento Zero é a resposta da sociedade civil a esse atropelo.”

Acabar com o corte indiscriminado de árvores não é um sonho impossível. Tampouco impede o desenvolvimento. O Brasil se tornou a sexta economia do mundo, o maior exportador de carne e o segundo maior em grãos. E conseguiu esse feito ao mesmo tempo em que controlava o desmatamento na Amazônia: de um pico de 27 mil quilômetros quadrados em 2004, o índice caiu para cerca de 6.000 em 2011.

A lei do Desmatamento Zero, aliás, não pretende transformar em crime todo corte de árvore. Ela serve para proteger as florestas da derrubada em larga escala e permite o aproveitamento de madeira, desde que feita de forma sustentável, com acompanhamento técnico.

Kumi Naidoo, diretor-executivo do Greenpeace Internacional, sustenta que a aprovação dessa lei colocará o Brasil em uma posição privilegiada. “Há vários países do mundo que pararam de desmatar suas florestas faz mais de um século”, disse. “Há novas potências econômicas surgindo. E, nessa corrida, o Brasil é indiscutivelmente a nação com mais condições de se destacar como a primeira potência econômica e ambiental da história.”

A campanha

Para acompanhar os primeiros passos da campanha do Desmatamento Zero, o navio Rainbow Warrior – lançado no ano passado com o que há de mais moderno e sustentável em navegação – acaba de chegar ao Brasil. Ele será uma plataforma para levar a questão a diversas cidades do país, servindo de plataforma para discussões e expondo os problemas que ainda assolam a maior floresta tropical do mundo.

É a primeira vez que esse navio visita o Brasil e seu roteiro inclui, além de Manaus, escalas em Belém, Recife, Salvador, Rio – onde participa da Rio+20, em junho – e Santos. Nessas cidades, o navio será aberto para visitação e palco de manifestações públicas e políticas.

Personalidades brasileiras como Camila Pitanga e Marcos Palmeira também entraram na campanha. Em vídeos, eles chamam os brasileiros para conhecerem a iniciativa e participarem.

Além de assinar e compartilhar a petição pela lei do Desmatamento Zero no site www.greenpeace.org.br, é também possível participar do desafio Liga das Florestas (www.ligadasflorestas.org.br), competição on-line para coletar assinaturas. Cada vez que uma pessoa convidar amigos ou compartilhar o desafio nas redes sociais, ela acumula pontos que podem virar prêmios como camisetas, ecobags ou bonés do Greenpeace.

Fonte: Greenpeace Brasil

0 comentário em “A chance de acabar com o desmatamento”

  1. Geraldo A. LOBATO FRANCO

    Mas só 1,4 milhões de assinaturas? A humanidade exige ao menos dez vezes mais que isso!
    Juntem-se ao Avaaz, svp.
    Mãos à obra. Falta pouco tempo pra Rio+20.

  2. Geraldo A. LOBATO FRANCO

    Mas só 1,4 milhões de assinaturas? Isso é pouco!
    A humanidade exige ao menos dez vezes mais que isso!
    Juntem-se ao Avaaz, svp. E aos demais do ramo.
    Mãos à obra. Falta pouco tempo pra Rio+20.

  3. Para acabar com o desmatamento é fácil é só compra os político do Brasil porque são todos corruptos eles deve de ter um esquema para vender a Amazônia toda. Tem que fazer uma coleta de assinatura para ver quantos brasileiro morrem no Brasil por dia com o desvio de verbas publicas da saúde e da educação se os nosso governantes deixasse apena 1% do dinheiro que vem para a educação ser aplicado na educação (conscientização ambiental) esse quadro do desmatamento ira mudar e rápido. Hoje 100% dos Brasileiros tem vergonha de ser brasileiro. Tem que desmata a Amazônia sem e 100% tem em vista que não há esperança de vida para os brasileiro a não ser ser mendigo por não ter direito ao básico que é educação e saúde como cobrar alguma coisa se dos Brasileiros da Amazônia se a única coisa que aprende quando criança é pilotar um motossera para não morrer de fome ai o nos Político (governantes) criou o bousa família para k a não ser para não dar educação e saúde e ainda falar que esta ajudando tudo por troca de votos. Todo brasileiro tem vergonha de ser brasileiro.

    1. Prezados,

      Recebi hoje um e-mail do Movimento “BRASIL UNIDO CONTRA CORRUPÇÃO” que retrata fielmente o BRASIL em que vivemos e onde ninguem gostaria de viver, e me senti na obrigação de deixar aquí algumas palavras.

      Não será possível acabar com toda esta bandalheira em que o Brasil se transformou de uma só vez, mas se nós direcionarmos nossa luta para o ponto básico da questão “FALTA DE FISCALIZAÇÃO DOS NOSSOS REPRESENTANTES NO LEGISLATIVO” estaremos dando um grandioso passo, e fazer isso, basta observar o seguinte:
      existem hoje engavetados no congresso vários projetos de leis “PECs” estabelecendo “O FIM DO VOTO SECRETO EM TODAS AS VOTAÇÕES”, incluindo a mais conhecida que é a PEC 50 do Senador Paulo Pain.
      Assim se conseguirmos desengavetar esta PEC e fazê-la ser aprovada, poderemos então fiscalizar e cobrar dos deputados e senadores que votem leis de interesse do povo, como por exemplo: “O FIM DA PRESCRIÇÃO DOS CRIMES ATÉ SEU JULGAMENTO EM ÚLTIMA INSTÂNCIA”, O FIM DOS RECURSOS PROTELATÓRIOS ÀS INSTÂNCIAS SUPERIORES APENAS PARA QUE CHEGUEM AO SUPREMO E CAIAM NO ESQUECIMENTO PELO ACÚMULO DE PROCESSOS, aliás o SUPREMO DEVERIA JULGAR APENAS A CONSTITUCIONALIDADE DOS ATOS DO/OU CONTRA O GOVERNO, FICANDO OS CRIMES COMUNS APENAS ATÉ STJ, O FIM DO FÓRUM PRIVILEGIADO, e muitos outros entre os 33 listados incluindo este tema (DESMATAMENTO ZERO) no e-mail que certamente O FIM DO VOTO SECRETO acabaria com todos eles através de nossa união e de muita luta democrática, muita pressão, e sem qualquer tipo de violência

  4. Geraldo A. Lobato Franco

    Parabéns AVAAZ!!! Finalmente conseguimos botar nas ruas uma fração daqueles que o AVAAZ representa; fico contente com isso, até porque se houver alguma mudança nos sistemas internacionais será por força dos movimentos populares mundo afora! Great AVAAZ, congratulations for yesterday’s international show of force!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *